Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Saiba o motivo

Roger Waters nega pedido de Zuckerberg para usar música do Pink Floyd em propaganda

Folhapress
16 jun 2021 às 15:59
- Divulgação
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Roger Waters, 77, disse ter negado um pedido de Mark Zuckerberg para usar a música "Another Brick in the Wall (Part 2)", clássico do Pink Floyd, numa campanha publicitária para o Instagram.


O músico mostrou o suposto e-mail com a solicitação feita por Zuckerberg no sábado (12), quando participou da conferência "Free Assange Forum", fórum de apoio ao jornalista australiano Julian Assange. Segundo Waters, o fundador do Facebook ofereceu "uma enorme quantidade de dinheiro" para usar a música.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


"É uma carta do Mark Zuckerberg destinada a mim. Chegou hoje de manhã [sábado, 12], com uma oferta de muito, muito dinheiro. A resposta é vá se f. Nem f**! E só exponho isso porque há um movimento incessante deles pela posse de absolutamente tudo", afirmou ele.

Leia mais:

Imagem de destaque
Apoio

Chico Buarque assina manifesto em defesa do padre Júlio, alvo de CPI

Imagem de destaque
Homem atemporal em 2023

Men of the Year: Dr. JONES elege Péricles como homem atemporal em categoria inédita

Imagem de destaque
The Tour em São Paulo

Jonas Brothers anunciam único show em São Paulo em abril de 2024

Imagem de destaque
The Eras Tour

Guinness confirma que Taylor Swift fez a turnê mais lucrativa da história


O músico disse também que as pessoas que têm algum tipo de poder devem agir para evitar isso. "E eu tenho um pouco [poder] -em termos de controle da publicação de minhas músicas, pelo menos. Então, eu não vou participar dessa merda, Zuckerberg."


Waters ainda leu trechos do suposto e-mail em que o fundador do Facebook teria afirmado que o sentimento central exposto em "Another Brick in the Wall (Part 2)" é "muito predominante e necessário hoje", o que mostra como a canção "é atemporal".

"É verdade, e ainda assim eles querem tomá-la", afirmou o músico. "Eles querem usá-la para tornar o Facebook e o Instagram ainda maiores e mais poderosos do que já são, para que possam continuar a censurar todos nós nesta sala e evitar que a história sobre Julian Assange chegue ao público em geral."


Receba notícias do Bonde no Whatsapp/Telegram e fique por dentro de tudo!
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade