Pesquisar

Canais

Serviços

Gustavo Oliveira/LEC
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Seria nesta noite

A pedido do MP, prefeito de Londrina suspende jogo entre LEC e Maringá

Luís Fernando Wiltemburg - Grupo Folha
27 fev 2021 às 17:29
Continua depois da publicidade


Atendendo a recomendações administrativas do Ministério Público do Paraná, as prefeitura de Londrina e de Cascavel proibiram as disputas pela primeira rodada do Campeonato Paranaense de Futebol, marcadas para as 19h15 deste sábado (27), nas duas cidades.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Em Londrina, o Tubarão enfrentaria o Maringá no Estádio do Café. Entretanto, decreto do prefeito Marcelo Belinati despachado às 16h55 proíbe qualquer atividade no local enquanto perdurar o decreto estadual de Ratinho Júnior (PSD), que vedou qualquer atividade não essencial deste sábado até o dia 8 de março.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


O Ministério Público do Paraná emitiu recomendações para as prefeituras de Londrina, Curitiba, Cascavel e Maringá, além da Federação Paulista de Futebol, para que as partidas marcadas nos quatro municípios, fossem suspensas.


Além do confronto entre o Londrina e Maringá, no Estádio do Café, o Cascavel enfrentaria o Paraná Clube, no Regional Arnaldo Busatto, em Cascavel. Outra partida estava prevista para este sábado, entre Cianorte e Athletico Paranaense, no Estádio Municipal Albino Turbay, em Cianorte, às 17h30 - onde não houve recomendação expedida.


As recomendações partiram de promotorias locais, em consonância com o decreto estadual publicado na sexta-feira (26), que determinou a suspensão de atividades não essenciais em todo o Paraná por uma semana. Partidas de futebol não estão entre as atividades permitidas. O decreto do governador Ratinho Júnior (PSD) também institui toque de recolher entre as 20h e 5h do dia seguinte.

Continua depois da publicidade


Os despachos do MP ainda levam em conta o expressivo avanço da pandemia do novo coronavírus em todo o Estado. Em caso de descumprimento, prefeituras e a federação estariam sujeitas a propositura imediata de tutela inibitória de ilícito (peça jurídica que tem o objetivo de evitar a execução de atos ilícitos) e "outras medidas correspondentes, independente de posterior e eventual responsabilização pessoal por dano moral coletivo”.


Antes do decreto municipal, o presidente do Tubarão, Sérgio Malucelli, ressaltou que o documento é uma recomendação, não uma imposição, e que os jogos não deveriam ser suspensos porque todos os protocolos de segurança estão sendo seguidos. "Todos fizeram exames de covid hoje, inclusive as pessoas de trabalho de apoio no estádio”, informou.


A FPF deve remarcar posteriormente as disputas suspensas. Em nota oficial no site, reforça que os outros jogos estão mantidos, "observando todos os cuidados à saúde e segurança de todos os envolvidos, em estrito atendimento ao Protocolo de Jogo/COVID-19 da FPF”.

Veja mais vídeos sobre esportes

Continue lendo