Pesquisar

Canais

Serviços

- Reprodução
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Por cartas

Belluzzo é ameaçado de morte

Agência Estado
27 mar 2010 às 21:51
Continua depois da publicidade

Antes de a bola rolar para Palmeiras e Mirassol neste sábado, em jogo disputado no Palestra Itália e terminou em 1 a 1 pelo Paulistão, o presidente do clube alviverde, Luiz Gonzaga Belluzzo, confirmou que recebeu quatro ameaças de morte de torcedores.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Ele recebeu em quatro endereços diferentes envelopes com balas de revólver e já entrou com um Boletim de Ocorrência relatando a ameaça. O fato foi revelado neste sábado pelo jornal Diário de S.Paulo.

Continua depois da publicidade



Os envelopes eram assinados pela Torcida Independente, do São Paulo. "Não foram eles", disse Belluzzo à Rádio Eldorado, certo que a ameaça partiu de integrantes de uma torcida uniformizada do Palmeiras.



Belluzzo admite que está decepcionado, mas disse que o acontecido não mudou sua rotina. "Não mudei minha vida. Não queria dar muita divulgação para isso, na verdade. Alertei as autoridades. O governador (José Serra) ligou para mim, mas não ia incomodá-lo por isso", disse Belluzzo, que admitiu que as ameaças só aconteceram por causa da falta de grandes títulos.



"Estão querendo culpar esta gestão, apesar dos esforços que fizemos. O time está ruim, precisa de reforços, mas ano passado podia ter sido campeão. Não fomos e o trauma está vivendo até agora."

Continua depois da publicidade



PROTESTO - Diretores do Palmeiras ficaram indignados com episódio das ameaças feitas a Belluzzo. "É uma covardia sem tamanho. Querem desestabilizar o clube, amedrontar, mas não vão conseguir", disse o vice-presidente de futebol Gilberto Cipullo.



Na rua Turiaçu, em frente ao Palestra, torcedores empunhavam faixas pedindo a saída de Cipullo do comando de futebol. O elenco também foi chamado de pipoqueiro em uma das faixas. Belluzzo, idem.


O diretor de futebol Genaro Marino disse que as ameaças não farão a diretoria mudar de rumo. "Querem nos intimidar, mas isso não vai acontecer. Parece que se esquecem de que, quando esta gestão assumiu o Palmeiras, (o clube) atrasava salários. Hoje temos um time competitivo. Essas ameaças não podem nos fazer perder a coerência no trabalho."


Veja mais vídeos sobre esportes

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade