11/08/20
29º/14ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Casa do futebol

Relembre grandes jogos no Pacaembu, hoje hospital e que faz 80 anos

Construído pela Prefeitura de São Paulo e concedido à iniciativa privada no ano passado, o estádio Paulo Machado de Carvalho, mais conhecido como Pacaembu, completa 80 anos nesta segunda-feira (27) numa nova função, como hospital de campanha.
Com o futebol parado, o campo foi adaptado para receber pessoas atingidas pela pandemia de coronavírus e não abriga uma partida desde 29 de fevereiro, quando Santos e Palmeiras empataram em 0 a 0 pelo Campeonato Paulista.

Pixabay
Pixabay


Relembre abaixo dez jogos marcantes da história do octogenário Pacaembu:

A inauguração
O Pacaembu foi aberto em 28 de abril de 1940, com uma rodada dupla. O Palestra Itália goleou o Coritiba por 6 a 2. Em seguida, o Corinthians derrotou o Atlético-MG por 4 a 2. Zequinha, do Coritiba, fez o primeiro gol da história do estádio.

Recorde de público
Em 24 de maio de 1942, o atacante Leônidas da Silva, artilheiro da Copa de 1938, estreou pelo São Paulo em um clássico contra o Corinthians, no Pacaembu. O público total foi de 71.281 pessoas, sendo 63.281 pagantes, o maior já recebido pelo estádio. A capacidade máxima hoje em dia está em 40.199. O apelido de Majestoso, usado para o confronto entre as duas equipes, nasceu por causa do empate em 3 a 3 naquele confronto.

O Brasil na Copa do Mundo
A única partida da seleção na Copa de 1950 fora do Maracanã aconteceu no Pacaembu. Em 28 de junho daquele ano, a equipe dirigida por Flávio Costa empatou com a Suíça em 2 a 2. Foi o único jogo não vencido pelo Brasil no torneio até o último, diante do Uruguai. No total, estádio paulistano recebeu seis confrontos do Mundial.

Título e início do jejum
Em 6 de fevereiro de 1955, com a presença de 50 mil pessoas, o Pacaembu recebeu o clássico entre Corinthians e Palmeiras, válido pela decisão do Campeonato Paulista de 1954. O torneio marcava a comemoração do quarto centenário da fundação de São Paulo. Como o empate em 1 a 1, o Corinthians foi campeão e depois disso iniciou jejum de títulos de expressão que terminaria apenas no Estadual de 1977.

Clássico, troféu e garrafas
Em 29 de dezembro de 1957 o São Paulo venceu o título estadual daquele ano com vitória sobre o Corinthians por 3 a 1. Foi a última conquista do time no estádio. A decisão entrou para a história como "a tarde das garrafadas". Após o São Paulo fazer o terceiro gol, marcado por Maurinho, uma briga generalizada começou entre os jogadores. Ao acreditarem que o atacante são-paulino estava impedido na jogada, os torcedores corintianos atiraram garrafas em campo.

Jogo dos 13 gols
Considerada a maior partida da história do estádio, o Santos venceu o clássico contra o Palmeiras por 7 a 6 em 6 de março de 1958, pelo Torneio Rio-São Paulo. O placar teve três viradas, até Pepe fazer o gol decisivo aos 43 minutos do 2o tempo. O confronto criou a lenda não confirmada que cinco pessoas teriam sofrido infarto vendo o clássico.

Decisão do Brasileiro
Com o Morumbi em reformas, o Pacaembu voltou a ser o principal estádio de São Paulo na metade dos anos 1990. Era o único local possível para a final entre Corinthians e Palmeiras, no Brasileiro de 1994. Com o empate em 1 a 1 em 18 de dezembro, o Palmeiras conquistou o segundo título nacional consecutivo, o oitavo em sua história.

Primeira Libertadores
O Santos foi o primeiro time brasileiro a ser campeão da Libertadores no Pacaembu (em 2002, São Caetano e Olímpia jogaram no estádio, mas os paraguaios venceram). Em 15 de junho de 2011, a equipe paulista derrotou o Peñarol-URU por 2 a 1 e voltou a conquistar o mais importante torneio sul-americano depois de 48 anos.

Título e luto
Em 4 de dezembro de 2011, pela última rodada do Brasileiro, o Corinthians precisava apenas de um empate diante do Palmeiras para ser campeão nacional pela quinta vez. Isso aconteceu com o placar de 0 a 0, que teve quatro expulsões e briga entre os jogadores. O jogo ficou marcado também por ter sido realizado no dia da morte de Sócrates, um dos maiores nomes da história corintiana, que ocorrera horas antes.

Fim do jejum
O 4 de julho de 2012 entrou para a história como a noite em que o Corinthians acabou com a piada dos adversários por não vencer a Libertadores. Com a vitória por 2 a 0 sobre o Boca Juniors (ARG), gols de Emerson Sheik, o time foi campeão sul-americano pela primeira vez e garantiu vaga no Mundial daquele ano, em que conquistaria o troféu ao bater o Chelsea (ING).
Folhapress
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Conteúdo relacionado:
Sem público
F1 confirma plano de iniciar temporada na Áustria em julho
211 federações
Fifa anuncia ajuda de US$ 150 milhões a federações nacionais
Prisão domiciliar
No Paraguai, Ronaldinho participa de live de pagode
Continue lendo
Campeonato Brasileiro
LEC e Criciúma ficam no zero e zero em estreia na Série C
10 AGO 2020 às 23h27
Dois em Londrina
Dois jogadores do Criciúma que testaram positivo para Covid-19 estão em Londrina
10 AGO 2020 às 19h04
Ángel Correa
Atlético perde atacante por Covid para jogo decisivo da Champions
10 AGO 2020 às 14h33
Champions
Protocolo da Uefa prevê realização de partidas após casos de Covid-19
10 AGO 2020 às 11h29
Série C
Londrina encara Criciúma com transmissão exclusiva do DAZN
10 AGO 2020 às 09h59
Gosto amargo
Santos leva gol no fim e empata com Red Bull Bragantino
10 AGO 2020 às 09h05
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados