Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Atenção!

Especialista comenta sobre cuidados para evitar a obesidade em pets

Redação Bonde com assessoria de imprensa
28 jan 2024 às 09:00
- Pixabay
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A alimentação é a principal fonte de energia para os animais de estimação gastarem ao longo do dia, porém, às vezes, por diversos motivos, acontece de os amigos de quatro patas comerem excessivamente. Entre essas causas, a mais comum é quando se oferece a eles alimentos impróprios ou não há prática de exercícios, como explica a médica veterinária e coordenadora do curso de Medicina Veterinária do Uninassau - Centro Universitário Maurício de Nassau Recife, campus Graças, Priscila Leite. 


"Negar um petisco aqui ou ali aos pets é, muitas das vezes, quase que irresistível, porém é uma tarefa que precisa ser feita. Eles têm facilidade em conquistar nosso coração para conseguir comida, ainda assim, não podemos negligenciar a saúde dos nossos amigos de quatro patas", diz. 

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Portanto, é importante identificar quando o pet está com sobrepeso ou já mostra sinais de obesidade. Nos cães, por exemplo, o cansaço ao andar ou correr, a dificuldade para se locomover e em respirar são alguns dos indícios. Conforme a veterinária, existe uma medição técnica para saber se o animal apresenta obesidade canina. 

Leia mais:

Imagem de destaque
Amor pelos felinos!

Dia Mundial do Gato: 7 dicas para 'mães e pais' de primeira viagem

Imagem de destaque
Dicas

Saiba como manter seu pet confortável e seguro no verão

Imagem de destaque
Quem vai ser o felizardo?

PRF registra 250 interessados em adotar o cão policial aposentado Echo

Imagem de destaque
Comportamento animal

Cabras parecem conseguir distinguir emoção na voz humana


"Há um método onde se avalia características corporais chamado Escore de Condição Corporal (ECC) e se baseia na palpação da camada de gordura corporal do cão, com escalas de 1 a 9. De 1 a 3 o cachorro está magro. De 4 a 6 é considerado peso adequado. Já de 7 a 10 está obeso e precisa ainda mais de cuidados", afirma. 


Para evitar o peso extra, a especialista destaca que é necessário ter uma alimentação equilibrada, com frutas, legumes, vegetais e outros tipos de proteínas que sejam adequadas ao animal. Se a obesidade for identificada, algumas medidas devem ser tomadas. 


"Regrar a alimentação dos nossos amigos é sempre importante independentemente da fase da vida deles e não deixar a comida sempre disponíveis a eles. Para impedir complicações que podem vir desde problemas nas articulações até a menor expectativa de vida, procure o acompanhamento de um veterinário com o objetivo de oferecer hábitos mais saudáveis ao seu pet", orienta.


Imagem
Quem não gostaria? PRF busca tutor para cão policial "aposentado"
A PRF (Polícia Rodoviária Federal) no Paraná busca um novo lar e um tutor responsável para o cão policial Echo
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade