03/06/20
20º/15ºLONDRINA
PUBLICIDADE
|
Saiba mais

Mandetta diz que idosos não vivem em cápsulas e defende isolamento geral

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, insistiu que o Ministério da Saúde mantém uma postura técnica e científica, "procurando mostrar para todos, sem distinção, qual a razão de termos esse posicionamento técnico e científico" de recomendar isolamento social.

Isac Nóbrega/PR
Isac Nóbrega/PR


A pasta analisou o perfil de 136 pessoas que morreram por coronavírus e aponta que 85% delas tinham outros fatores de risco. Com relação à faixa etária, 90% dos óbitos tinham mais de 60 anos, mas há pessoas mais novas.

Oito óbitos tinham entre 40 e 59 anos e seis deles, entre 20 e 38 anos.

Com base nesses dados, Mandetta disse que não adianta isolar apenas os idosos, como defendeu o presidente Jair Bolsonaro.

"Qualquer medida que fale em movimentação da nossa sociedade, não pode deixar de olhar para esse gráfico aqui. Então é só pegar as pessoas acima de 60 anos e cuidar? Como se essas pessoas estivessem dentro de uma cápsula. Essas pessoas moram com vocês, essas pessoas têm netos, filhos, trabalham, pegam ônibus, são ambulantes. São eles que podem ser [os maiores atingidos], os próprios ambulantes que a gente quer acelerar e cuidar da economia informal".

No domingo, contrariando recomendações do Ministério da Saúde, o presidente Jair Bolsonaro circulou pelo comércio do Distrito Federal e cumprimentou apoiadores. Bolsonaro disse nesta segunda-feira que o tour feito por ele não havia sido um "passeio". "Não fui passear, não. Fui ver o povo", disse.

A postura do presidente tem causado desconforto dentro do governo e entrado em confronto com as orientações do próprio Ministério da Saúde sobre isolamento social.

Nesta segunda (30), o governo federal deixou de realizar entrevistas coletivas apenas com a equipe do Ministério da Saúde, como ocorria desde o registro dos primeiros casos, e iniciou um encontro com a presença de vários ministros. Mandetta foi o último a falar.

O ministro da Casa Civil, o general Walter Braga Netto, negou que o novo formato da entrevista coletiva tenha tido motivação política.
Mandetta ressaltou nesta segunda-feira (30) que há subnotificação de casos pela falta de capacidade do país de realizar testes em todos os suspeitos.

"Não temos testagem a todos, então o número de casos é muito maior do que o número de casos que temos como confirmados", disse ele. "Essa patalogia é nova, estamos escrevendo sua história."

O Ministério da Saúde encomendou 22,9 milhões de testes rápidos para identificar a Covid-19. A pasta também receberá da Fiocruz, até 1º de abril, 40 mil testes RT-PCR, mais precisos e usados para diagnosticar casos graves internados e por amostragem de casos leves.
Folhapress
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Conteúdo relacionado:
Fake news!
Bolsonaro endossa notícia falsa para dizer que estados inflam mortes por coronavírus
Saiba mais
Senado aprova "coronavoucher”; Bolsonaro promete sanção ainda nesta terça
Economia
Prefeitura anuncia plano com medidas para auxílio no período da pandemia em Londrina
Continue lendo
Boletim da prefeitura
Londrina registra mais 40 casos de Covid-19 e número vai a 492
03/06/2020 18:44
Boletim da Sesa
Número de mortes pela Covid-19 no Paraná passa de 200; mais de 5,4 mil casos
03/06/2020 17:01
Coronavírus
Pacientes de Assaí e Rolândia morrem por Covid-19 no HU de Londrina
03/06/2020 16:20
Duas mulheres
Com mais duas mortes, Londrina atinge marca de 30 óbitos por Covid-19
03/06/2020 16:10
Entenda
Falhas em teste podem deixar até 6 mil mortes por Covid sem registro
03/06/2020 15:22
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados