Pesquisar

Canais

Serviços

Reprodução/Facebook (Volvo Car Brasil)
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Veja a avaliação

Primeiro carro totalmente elétrico da Volvo traz pegada esportiva em formato de SUV

José Antonio Leme/Folhapress
07 dez 2021 às 11:09
Continua depois da publicidade

A Volvo colocou no mercado seu primeiro carro 100% elétrico, o XC40 Recharge Pure Electric. Ele é parte da estratégia da marca de se tornar totalmente elétrica até 2030.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Se acabar com os carros 100% a combustão e mudar para o híbrido com certa facilidade já parecia surpreendente, a mudança com prazo para outra tecnologia, que ainda não está disponível em 100% dos lugares, é uma aposta ousada.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


Mas como é conviver com a versão elétrica do SUV compacto da marca que abre caminho para os próximos que devem seguir com a mesma tecnologia e proposta?.


A Europa talvez esteja pronta para o carro 100% elétrico com distâncias menores a serem cobertas, mas será que há o mesmo preparo aqui no Brasil?.


Dirigir o XC40 elétrico é tão diferente da versão híbrida plug-in que também continua à venda? Confira na avaliação abaixo:

Continua depois da publicidade


Design e espaço interno


O XC40 elétrico se diferencia do modelo a combustão no visual externo basicamente pela grade toda fechada na dianteira, já que não há um motor a combustão que precisa ser resfriado.


No mais, a Volvo adotou o mesmo design que já conhecemos e que faz sucesso em toda a linha XC, no caso do 40, em tamanho compacto.


Os faróis e lanternas de LEDs com design marcante fazem parte do visual de linhas limpas, marcadas e que se acentuam por pequenos detalhes, sem muitos exageros, bem ao padrão sueco de fugir dos exageros.


Por dentro, o carro mantém o mesmo estilo dos demais modelos da linha XC. O acabamento se destaca e tem detalhes de requintes extra, como uma faixa com pontos que dá um aspecto 3D ao interior na altura das maçanetas.


Funcional e bem acabado, não apela para grandes diferenças no interior, mesmo sendo disruptivo em termos de força motriz.


O espaço interno é viável para quatro adultos com conforto, por se tratar de um SUV compacto. O porta-malas oferece bons 414 litros de porta-malas e conta com espaço extra na dianteira, que a Volvo conseguiu utilizar já que não há um motor a combustão ali.


Consumo e desempenho


O desempenho do XC40 elétrico com seus dois motores elétricos, um em cada eixo, é de 408 cv e 67,3 mkgf. Chega a ser desnecessária tanta potência e torque em um carro desse tamanho, especialmente pela entrega instantânea de torque.


Ele tem aceleração de carro esportivo: são 4,9 segundos para sair de imobilidade até os 100 km/h, apesar dos 2.118 kg. 


A entrega é muito mais esportiva do que se espera de um pacato SUV da marca sueca. Como tem sido feito com outros carros da montadora, o XC40 elétrico já vem com limitador de velocidade para 180 km/h.


A autonomia divulgada com uma carga completa é de 418 km no WTLP, que é um ciclo que simula o uso do carro em condições normais para medições.


Segundo a Volvo, com um sistema de carga rápida, é possível chegar a 80% da capacidade em 40 minutos, na bateria que tem capacidade de 78 kWh.


Isso depende, contudo, de como o motorista dirige e de não ficar buscando sorrisos com acelerações bruscas que o XC40 pode oferecer. Regiões de serras também tendem a reduzir a autonomia da carga.


A falta de carregadores rápidos espalhados em pontos públicos, sendo a maioria de carga lenta ou média, faz com que seja preciso programar bem suas viagens, especialmente em pontos que não haja um carregador ou uma tomada trifásica para usar o cabo que acompanha o carro.


Com exceção do silêncio dentro da cabine e o leve zunido do motor elétrico, que só se ouve caso o sistema de som estiver desligado, é um carro normal de condução.


A suspensão tem um ajuste de firmeza destinado aos mercados europeus, não tanto o piso brasileiro. A direção elétrica tem uma calibragem boa, mas também mais focada em conforto, não em precisão, o que não surpreende tratando-se de um SUV.


A posição de guiar é algo a se destacar e fácil de encontrar graças aos ajustes da direção e dos bancos. Além disso, os bancos dianteiros têm o ajuste de extensão, que facilita o apoio de pernas para as pessoas mais altas.


Equipamentos.


O pacote do Volvo XC40 elétrico é bem completo, como de se esperar. Uma das principais novidades é a adoção da nova central multimídia que, apesar de manter o formato, ganhou um novo sistema operacional, desenvolvido em parceria com a Google em cima do Android.


Com isso, não há mais a opção de conexão por cabo ou sem fio de Android Auto ou Apple CarPlay. Por outro lado, o sistema vai permitir ter os aplicativos que se deseja diretamente na central por meio da Play Store, exatamente como fazemos com o smartphone e, nesse caso, usando um chip 4G do carro.


Há também quatro entradas USB do tipo C, carregador de celular por indução, sistema de som premium da Harman Kardon com 13 alto-falantes e subwoofer com capacidade de 660 watts.


O pacote inclui ar-condicionado de duas zonas com filtro de impurezas, teto solar panorâmico, painel de instrumentos virtual de 12,3 polegadas com alta definição, chave presencial com partida automática: ao entrar no carro e acionar o câmbio ele já está funcionando.


Há, inclusive, sensores de chuva, de luminosidade e de obstáculos na frente e atrás, computador de bordo, luzes de faróis e lanternas de LEDs e farol alto automático. O porta-malas tem abertura elétrica e com o uso de movimentos sob o para-choque traseiro.


Segurança


O pacote de segurança é exemplar. São sete airbags, controles de tração e estabilidade e pacote ADAS completo: controle de velocidade adaptativo (ACC), frenagem autônoma de emergência com alerta de colisão frontal e traseira, alertas de ponto cego nos retrovisores, de tráfego cruzado e de saída da faixa de rodagem com correção.


Conta ainda com assistente de partida em rampa e de descidas íngremes, câmera 360º, que cria uma imagem superior para auxiliar em manobras e o sistema On Call, útil para concierge e emergências.


Mercado


O espaço para os carros elétricos ainda não chegou a 2% do mercado brasileiro. 2021, que foi um ano com muitas novidades nesse segmento, deve terminar com cerca de 1% das vendas.


Com preços ainda pouco acessíveis, os elétricos, como outras tecnologias que hoje são comuns em carros de entrada, estão vindo de cima para baixo.


Por enquanto, a falta de estrutura e a demora com as cargas se comparado aos carros a combustão são um impeditivo a uma vida livre com o carro elétrico, especialmente saindo dos grandes centros.

Continue lendo