Pesquisar

Canais

Serviços

Lucio Flávio

Campeão em 92, André Dias volta ao LEC: "Não vi falha do Albino"

- Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
02 out 2019 às 14:20
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Peça decisiva na conquista do título paranaense de 1992, o ex-goleiro André Dias está de volta ao Londrina, 27 anos depois. O agora auxiliar técnico chegou junto com o técnico Mazola Júnior para comandar o alviceleste na reta final da série B.

Continua depois da publicidade

Revelado na Ponte Preta, André Dias veio para o Londrina ainda bastante desconhecido e conseguiu se destacar na reta final daquele Estadual. Brilhou na disputa de pênaltis na semifinal contra o Atlhetico e ajudou o LEC a conquistar o seu terceiro título paranaense. André Dias foi titular nos três jogos decisivos diante do União Bandeirante.


"O Londrina é um time muito especial na minha vida. Não eramos um time que tinha ambição de ser campeão, era uma equipe modesta. Mas foi muito marcante para mim porque era o meu primeiro empréstimo, a primeira vez como titular em um time profissional", apontou o ex-goleiro de 50 anos.


"Já trabalhei em muitos times e lugares e a gente não tem que chegar com festa e sim sair com festa como foi em 1992. Eu era totalmente desconhecido para o mundo do futebol, assim como boa parte daquele elenco. Não era um time badalado e acabamos o ano como campeões e reconhecidos. Espero nesta volta que eu tenha a mesma trajetória de 1992. Chegar humildemente e sair campeão ou pelo menos com o acesso ", ressaltou.


André Dias lembrou do ex-atacante Aléssio, companheiro no título paranaense. "Quem sabe eu consigo ter o mesmo sucesso que o Aléssio teve aqui como auxiliar do Tencati".

Continua depois da publicidade


O ex-goleiro começou a trabalhar com Mazola Júnior em 2005, quando integraram a comissão técnica do Atlético Mineiro. Depois de muitos anos como preparador de goleiros, Dias garante que agora a maneira de trabalhar é diferente. "Não sou mais treinador de goleiro, sou auxiliar. Sou muito amigo do Sabiá - preparador de goleiro do LEC - e não quero me envolver com goleiro, só na parte técnica".


André Dias acredita que os ex-goleiros conseguem ter uma visão mais ampla do campo de jogo, sobretudo na parte defensiva. "Esta é uma vantagem de quem foi goleiro. Vou auxiliar o Mazola sobretudo nas questões defensivas e de posicionamento", afirmou.


Leia também: Mazola Júnior vai herdar os mesmos problemas de Tencati

Questionado sobre a instabilidade dos goleiros do Londrina em 2019 - nenhum goleiro conseguiu ser titular absoluto durante a temporada apesar de todos terem jogado -, André Dias afirmou que acredita ser um ano atípico e defendeu Matheus Albino do gol sofrido contra o Vila Nova.

"Nos últimos anos, todos os goleiros que passaram aqui foram bem. Pode ser uma fase agora. É difícil falar sobre goleiro porque cada um tem uma preferência. Mas você precisa ter muito cuidado para colocar e tirar um goleiro porque você pode perder dois goleiros em dois jogos", ressaltou. "Não vi falha do Albino no lance. A bola fez uma curva e a TV, dependendo do ângulo, nem sempre reproduz o que acontece em campo. Ele foi traído pela curva da bola, não vi falha".


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade