Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade

O plano de salvação

05 jun 2009 às 15:07
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Getulio Castilho, Felipe Prochet e Mirko Bressanini estiveram na Paiquerê para falar do plano lançado pelo grupo de desportistas e empresários que visa recuperar a vida do Londrina Esportes Clube, a começar pelas categorias menores.

Eles assumiram o departamento amador, criaram uma empresa (a LEEL) e colocaram em prática um plano de participação do torcedores, do comércio e da indústria através de cotas que deverão garantir a manutenção dos meninos no clube e, conseqüentemente, reforçar a formação de novos talentos.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


O plano é aberto a quem quiser participar e ajudar. Cada cota custa R$ 1 mil e poderá ser paga à vista – ou em 5 vezes de R$. 220,00 – ou ainda em 10 parcelas de R$. 120,00. O investidor, no caso o comprador de cota, terá direito, a partir do quarto ano, a participar dos lucros verificados com a venda de jogadores. Até o final do terceiro ano todo dinheiro arrecadado será destinado à manutenção e melhorias na estruturação do departamento.

Leia mais:

Imagem de destaque

Dois campeões invictos

Imagem de destaque

Façam as apostas

Imagem de destaque

Rogério 100

Imagem de destaque

Do sonho ao pesadelo


De imediato a meta é a venda de 300 cotas para a subsistência ser garantida por um ano já que o gasto regular do departamento amador é de aproximadamente 25 mil reais por mês. O plano visa venda total de 1.500 cotas nos três anos iniciais.

Publicidade


É um plano que pode e precisa dar certo. É comandado por pessoas responsáveis e de credibilidade, mas é preciso que seja feito um trabalho forte de colocação dessas cotas, fazendo-as chegar até o interessado.


Essa é a saída real para o Londrina recuperar sua saúde financeira a médio e longo prazo. É revelando os seus jogadores, sem a participação de empresários ou procuradores, criando jogadores cem por cento do clube.

Publicidade


O lançamento oficial da campanha acontecerá dentro de alguns dias e é chegado o momento daquele que gosta realmente do Londrina (e tem condições financeiras de participar) ajudar de verdade.


O patrocínio da Sercomtel

Publicidade


A direção do Londrina levou um susto danado quando o Prefeito Barbosa Neto e a direção da Sercomtel anunciaram a nova verba de patrocínio da empresa ao Tubarão. De 40 mil caiu para menos de 15 mil reais. E foi mais ou menos na base do pegar ou largar.


É claro que o Londrina pegou e até houve uma conformação por parte do presidente Peter Silva. Como valerá por três meses, o Londrina receberá algo em torno de 45 mil reais no período de preparação e participação no Brasileiro D.

Publicidade


Não sei como ficou a situação da Portuguesa que brigou e também esperneou por uma verba de patrocínio da empresa, ameaçando até mudar o seu domicílio para a distante União da Vitória.


A verba oferecida ao Londrina é pequena? Claro que é, mas é preciso entender que a administração municipal e a própria Sercomtel vivem uma nova realidade. Na empresa é um tempo de realismo e não mais de sonhos. A torneira está fechada. E ela foi, por muito tempo, aberta de maneira desmedida, exagerada, o que causou sérios problemas.


Entendo que o futebol precisa do maior apoio possível, mas acho também que era preciso acabar a exagerada distribuição de verbas da Sercomtel. A empresa patrocinava tudo, soltava rios de dinheiro. Muitos patrocínios sem qualquer retorno ( o contrário do futebol) e era preciso mudar.

O que se espera é que com uma distribuição mais restrita e limitada, a Sercomtel seja ajustada, para num futuro próximo voltar oferecer um patrocínio digno ao futebol que é, sem qualquer dúvida, o maior propagador do nome da cidade.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade