10/08/20
28º/15ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Felipe Rocha dos Reis
Felipe Rocha dos Reis
30/11/2018 - 13:43
Imprimir Comunicar erro mais opções
Divulgação
Divulgação


Todo motociclista conhece a trail de média cilindrada da Honda. Competente no que promete, a NX4 Falcon tem grande liquidez no mercado de motos usadas. Como dizem, ela é dinheiro na mão... Anunciou, vendeu!

Segundo o vendedor de motos de uma loja do centro de Londrina, Everaldo Gomes, a moto é uma das mais procuradas, "tem fila de espera aqui na loja atrás dessa moto". Segundo ele, a mais procurada é a versão até 2008, por causa do preço, mais acessível.

Produzida entre os anos de 1999 a 2015 (com uma pausa entre 2009 e 2012), a Falcon possuí duas versões. A NX4, ou a NX400i. Na primeira versão, produzida entre 1999 e 2008, a moto era alimentada por carburador, produzia 30,6 cavalos de potência e torque de 3,51 kgfm. Esta porém, tem fama de beberrona... Em testes de revistas especializadas, falavam em média um consumo de 23km/l, mas há relatos de proprietários que falam em 19 ou 20km/l.

Na versão injetada, este consumo melhora significativamente. A média aqui sobe para 28 km/l, porém a potência e o torque caem para 28,7 CV e 3,27 kgmf. Isso se deve ao fato de as motos mais novas terem obedecido às normas ambientais de emissão de poluentes.

Mas onde o bicho pega?

O que costuma ser alvo de muitas reclamações dos donos das Falcons é em relação ao retificador de voltagem. Esta peça, têm a função de corrigir a voltagem gerada no motor para fazer a recarga da bateria. Caso a peça esteja com problemas, a bateria não carrega e a moto acaba por ficar sem partida. Caso demore para corrigir o problema, o dono da moto pode até perder a bateria, caso haja uma recarga com voltagem muito alta. Para verificar, coloque um voltímetro nos pólos da bateria, acelere a moto até os 5000 RPM e verifique a voltagem. Se estiver entre 12,7 até uns 15 volts, tudo certo. Caso esteja mais, ou menos do que isso, leve a um eletricista de sua confiança.

Arquivo pessoal
Arquivo pessoal


Outro ponto importante: a suspensão. Como o amortecedor traseiro é uma peça cara, em alguns casos, o antigo dono da moto pode ter protelado a substituição da peça. Isso causa diversas folgas no sistema, o que compromete e muito a experiência de pilotagem. Antes de comprar, verifique se há folgas no sistema, o alinhamento das rodas e é claro, o próprio amortecedor.

O carburador dessa moto também é chatinho, e geralmente, só funciona bem se for de boa qualidade, ou o original mesmo. Se estiver desregulado, o consumo da moto aumenta demais. Uma boa revisada nele pode não ser das mais em conta, mas vale o investimento.

Pontos positivos

Arquivo Pessoal
Arquivo Pessoal


O motor dela talvez seja o maior ponto. Não em relação a potência, considerada baixa para uma 400cc, mas em relação a robustez. Dificilmente dá problema, se for trocado o óleo certinho conforme as especificações da Honda, não tem erro.
A moto é muito boa para a cidade, e competente na estrada. Consegue com tranquilidade manter os 110 km/h e se necessário, tem motor pra fazer uma ultrapassagem. É muito confortável também, tanto para o piloto quanto para o garupa.

Outros pontos fortes estão na suspensão, que absorve muito bem os impactos das nossas ruas esburacadas e nas rodas, de 21'' na dianteira e 18'' na traseira.

Resumindo, escolha bem a sua moto, têm muitas no mercado e você não vai querer ser o premiado com os defeitos crônicos dela. Consulte um mecânico de sua confiança antes de fechar negócio. Os preços, variam de R$7200 a R$15000. Não tenha pressa e faça um bom negócio!

Siga nossa página no Facebook
Siga-nos no Instagram
COMENTE ESTE POST

 Caracteres restantes : 2000
Felipe Rocha dos Reis
 
Nascido em São Paulo, Felipe Rocha dos Reis sempre foi um entusiasta por carros e motos. Quando criança - ao contrário dos outros garotos que queriam ser jogador de futebol – Felipe sonhava em ser mecânico da Formula 1. Cursou Técnico em Mecânica pelo SENAI, Tecnologia Mecânica pela UTFPR e está na reta final de Engenharia Mecânica pela Faculdade Pitágoras - Londrina. Trabalha como projetista de máquinas industriais, mas não deixou de lado toda paixão e expertise pelos automotores de duas e quatro rodas.



ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados