Pesquisar

Canais

Serviços

Reprodução
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Já está funcionando

Aplicativo lançado em Londrina quer ser 'Uber das entregas'

Auber Silva - Redação Bonde
22 set 2016 às 10:31
Continua depois da publicidade

Lançado em Londrina há cerca de um mês, o aplicativo Pedi Rápido funciona praticamente nos mesmos moldes do Uber, só que voltado para entregas e transporte de objetos - embora seja possível utilizá-lo para transporte de passageiros, em moto ou carro. Este tipo de serviço surgiu fora do País e já existe em diversas cidades brasileiras. Em Londrina, no entanto, ainda é novidade.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Para utilizá-lo, basta baixar o app no celular ou fazer o cadastro no site. Ao definir o ponto de partida e o ponto final da entrega, um aviso é disparado automaticamente ao entregador cadastrado que estiver mais próximo do local inicial, exatamente como o Uber. É possível, ainda, detalhar as atividades que o profissional terá que fazer em cada um dos endereços, como colher alguma assinatura, buscar um documento específico ou então determinar o destinatário do objeto enviado. O usuário que acionou o entregador não precisa necessariamente estar em algum dos dois pontos e poderá pagar pelo serviço remotamente, via cartão de crédito. Caso o solicitante esteja presente, ele poderá utilizar dinheiro vivo.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


De acordo com Adalberto Junior, sócio do Pedi Rápido com Marcelo Américo, o objetivo do aplicativo é conquistar a clientela com taxas mais baixas que as já praticadas pelo mercado de serviços de entrega e frete. "Fizemos uma análise de mercado e percebemos que havia uma carência por este tipo de serviço em Londrina. Também acreditamos que o valor da tarifa seja um diferencial que pode atrair clientes, uma vez que nossos preços são mais baixos que os encontrados através dos meios tradicionais", explica.


Cada entrega é calculada pela soma da tarifa inicial (R$ 3,00) mais R$ 1,00 por km rodado, considerando os deslocamentos para buscar o objeto e depois para entregá-lo. Do valor da corrida, a empresa responsável pelo aplicativo fica com 15% e o pagamento dos entregadores é feito semanalmente. "Os motoristas e motociclistas cadastrados podem utilizar o aplicativo até como um bico. Não há nenhuma determinação de horas mínimas por dia nem nada. Se ele quiser fazer apenas algumas horas no final de semana, não tem problema. Basta acionar o aplicativo e ficar on-line durante o tempo em que quiser estar disponível", afirma Junior.

Em um mês de funcionamento, o Pedi Rápido cadastrou 120 entregadores, entre motociclistas e motoristas de carros e caminhões. "Até o momento, os resultados estão dentro daquilo que esperávamos durante o planejamento. Estamos começando agora a fazer campanhas de divulgação, especialmente nas redes sociais e no rádio. A demanda está crescendo dentro do esperado", avalia.


Continue lendo