Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Fiscalização urbana

Ação Integrada inspeciona bares, boates e ‘lan houses’

Redação Bonde
12 nov 2007 às 09:11
A operação flagrou muitas pessoas portando drogas e armas, como este universitário, preso no Centro da cidade com um revólver - Eduardo Anizelli
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Pela quarta vez no ano, o comboio da Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu) inspecionou bares, boates, ''lan houses'' e outros estabelecimentos comerciais de Londrina nas noites de quinta-feira, sábado e domingo.

Na sexta-feira, a ação se deslocou até Bandeirantes. Além de irregularidades sanitárias e fiscais, a operação flagrou novamente muitos adolescentes, pessoas portando drogas e armas. Um dos revólveres apreendidos estava em poder de um estudante universitário.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Como das outras vezes, a Aifu contou com a participação das polícias Civil, Militar e Ambiental, Corpo de Bombeiros, Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Vara da Infância e Juventude, Conselho Tutelar e Vigilância Sanitária, num total de cerca de 55 profissionais.

Leia mais:

Imagem de destaque
Em fase única

Inscrições para Vestibular 2025 da UEL abrem nesta quinta

Imagem de destaque
Começa nesta quarta

CineKombi leva cinema gratuito para as ruas de Londrina

Imagem de destaque
Operação policial

Bingo clandestino funcionava em galpão com placa de aluga-se no centro de Londrina

Imagem de destaque
Obra cara e atrasada

Após vários contratempos, novo Fórum Criminal de Londrina deve ser concluído em 2025


Em visita à FOLHA, o coordenador estadual da Aifu, Benedito Faccini, o delegado-chefe da 10 Subdivisão Policial, Sérgio Barroso, a delegada Tamara Justi, o tenente Guido Benjamin dos Santos Filho, e o representante da Associação dos Diplomados na Escola Superior de Guerra (Adesg) em Londrina, Flaubert Semprebom, reiteraram que a ação tem o objetivo de reprimir crimes, fiscalizar e esclarecer os proprietários sobre como devem proceder para regularizar as pendências de suas empresas. ''Nossa intenção não é fechar os estabelecimentos fiscalizados mas fazer com que os proprietários se adequem'', destacou Faccini.


Ao todo, o comboio pretendia percorrer cerca de 30 pontos comerciais de Londrina. Alguns deles já haviam sido visitados nas ações anteriores. ''Os reincidentes podem ser notificados, autuados e ter seus comércios fechados. Assinam um termo circunstanciado por desobediência e podem ter os alvarás cassados'', citou.

>> Leia reportagem completa na Folha de Londrina


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade