Pesquisar

Canais

Serviços

Vitor Struck/Grupo Folha
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Dia da Consciência Negra

Calçadão será palco de manifestações neste sábado em Londrina

Vitor Struck - Grupo Folha
19 nov 2021 às 20:31
Continua depois da publicidade

Na data em que o Brasil celebra o Dia da Consciência Negra, em alusão à morte do líder quilombola Zumbi dos Palmares, neste sábado (20), grupos ligados aos movimentos sociais deverão ir às ruas para protestar contra o presidente Jair Bolsonaro em diversos municípios do País. Por outro lado, manifestações contrárias ao chamado "passaporte da vacina" também foram agendadas e deverão contar com as presenças de líderanças políticas e apoiadores do presidente.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


LEIA TAMBÉM:

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Pretos e pardos representam 18% dos servidores municipais de Londrina


Em Londrina, duas manifestações foram marcadas para a manhã deste sábado, no centro da cidade.  


Encabeçada por centrais sindicais, integrantes de movimentos sociais do campo da esquerda e pastorais ligadas à Igreja Catolica, a manifestação contrária à gestão de Jair Bolsonaro deverá ter início às 9h, em frente ao chafariz do Calçadão de Londrina, na região da Avenida Paraná. Em seguida, o grupo deverá caminhar em direção à Concha Acústica, onde apresentações culturais deverão ser realizadas. Em pauta, temas como a alta no preço dos combustíveis e dos alimentos, o que afeta de forma mais dura a camada mais pobre da população brasileira.  

Continua depois da publicidade


Também agendado para ter início às 9h, o protesto contra a obrigatoriedade da vacinação contra a Covid-19 deverá ocorrer na Praça da Bandeira, também na região do Calçadão. Em Londrina, o chamado passaporte sanitário foi adotado apenas no âmbito do serviço público municipal, desencadeando alguns protestos. 


Enquanto a esmagadora maioria dos servidores do município aderiu à vacinação, ao menos 135 dos cerca de 10 mil concursados negaram o imunizante, apontou a Prefeitura.


Leia mais na FOLHA.

Continue lendo