Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Após rebelião

Câmara cobra informações sobre a PEL II ao juiz da VEP

Thamiris Geraldini - Redação Bonde
27 nov 2015 às 10:01
- Anderson Coelho/Equipe Folha
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A Câmara de Vereadores vai cobrar um posicionamento referente à atual situação da unidade dois da Penitenciária Estadual de Londrina (PEL II) junto à Vara de Execuções Penais (VEP). Uma reunião entre os vereadores e o Juiz Katusjo Nakadomari está programada para a tarde desta sexta-feira (27).

Segundo o presidente da Câmara, Fábio Testa, o professor Fabinho, o objetivo da reunião é conseguir informações referentes à atual situação dos internos. "O que nós queremos é saber como estão as coisas do lado de dentro da unidade. Existem muitas informações superficiais e desencontradas e nosso objetivo é sanar nossas dúvidas sobre como está a situação no local", afirmou.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Desde a rebelião ocorrida em outubro, familiares dos internos protestam queixando-se da desinformação. Em duas oportunidades, a PR-445 foi fechada em manifestação, além de Protestos no Terminal Urbano e, o mais recente, na última quinta-feira (26), na Câmara de Vereadores, são exemplos de mobilizações encabeçadas pelos parentes dos presos.

Leia mais:

Imagem de destaque
Entrega prevista para novembro

Obras de duplicação da avenida Octávio Genta está 16% concluída em Londrina

Imagem de destaque
smartphones, vinhos, perfumes

Receita Federal apreende R$ 1,5 milhão em mercadorias nos Correios de Londrina

Imagem de destaque
Assista ao vídeo do flagrante

Raio laser verde é uma ameaça para a segurança aérea; piloto de Londrina relata avistamento

Imagem de destaque
Promoções e descontos

Dia da Duque pretende movimentar comércio em Londrina no próximo sábado


Na tarde de ontem, o governador Beto Richa esteve em Londrina e anunciou a transferência de presos nesta sexta-feira (27), numa alternativa de resolver o problema do local.

Desde a rebelião, os detentos foram divididos em dois pátios cobertos, onde permaneceram até que as obras de reconstrução das celas fossem concluídas. Pelo menos 500 detentos ainda estão nos pátios.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade