Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Estreia

'Conduzindo Madeleine': comédia com drama entra em cartaz em Londrina

Carlos Eduardo Lourenço Jorge - Especial para a Folha
25 jun 2024 às 11:00
- Divulgação
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Você não pode superar o táxi como um conceito cinematográfico em busca do estudo do personagem. O espaço restrito do interior da cabine, com dois participantes separados pelo código semântico (?) de uma divisória de vidro, permite uma interação intimamente carregada, com dinâmicas de poder variáveis; a tarifa a pagar é o que regula, mas o motorista ao volante tem o arbítrio final. 


E então, em termos de exterior, as janelas tornam-se uma tela de cinema, exibindo vistas da cidade em uma sucessão de montagens. Finalmente, em termos narrativos, reais ou alegóricos, existe o conceito inerente de cada viagem.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


O título em inglês desta viagem em Paris, “Driving Madeleine”, de Christian Carion (em exibição até quarta-feira 926), no Cine Ouro Verde), remete deliberadamente a “Driving Miss Daisy”, o filme vencedor do Oscar de 1989 e um melodrama seguro e respeitável sobre uma mulher branca idosa e seu motorista negro. Existem semelhanças superficiais, mas o francês Carion vai para um lugar diferente e mais sombrio.

Leia mais:

Imagem de destaque
Em fase única

Inscrições para Vestibular 2025 da UEL abrem nesta quinta

Imagem de destaque
Começa nesta quarta

CineKombi leva cinema gratuito para as ruas de Londrina

Imagem de destaque
Operação policial

Bingo clandestino funcionava em galpão com placa de aluga-se no centro de Londrina

Imagem de destaque
Obra cara e atrasada

Após vários contratempos, novo Fórum Criminal de Londrina deve ser concluído em 2025


O taxista parisiense criado pelo quarentão Charles tem problemas: está profundamente endividado, está quase prestes a perder a carteira de motorista por acumular infrações de trânsito e raramente vê a esposa e a filha pequena. 

Publicidade


Quando Madeleine, uma senhora de 92 anos, ágil e teimosa, lhe promete dinheiro extra para levá-la pela cidade durante horas a fio, ele aceita o trajeto, a contragosto. Depois de sofrer uma queda grave, a gentil Madeleine está indo passar seus ultimos dias num lar de idosos. Mas antes quer fazer uma última viagem pela sua amada Paris.


Enquanto Charles a leva pela cidade, memórias e lembranças são acionadas em Madeleine (talvez Carion e o co-roteirista Cyril Gély a tenham batizado em homenagem ao famoso bolinho imortalizado por Proust), que são retratadas em flashbacks. 


A história de Madeleine tem muitas reviravoltas. Renaud cria a personagem como uma sobrevivente; alguém que aprendeu a suportar. Seu calor é totalmente irresistível, descongelando ou desconsolando Charles. Ele não consegue ver o caminho para sair da floresta. Ela se torna sua guia para que finalmente nos perguntemos quem está direcionando quem e para onde.


Leia a reportagem completa na FOLHA DE LONDRINA:


Imagem
'Conduzindo Madeleine': comédia dramática em cartaz em Londrina
Mistura de humor e drama, filme em cartaz no Cine Ouro Verde até quarta-feira (26) reúne dois personagens numa viagem de táxi por Paris
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade