Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Para pacientes com TEA

Influenciadora de Londrina cobra ampliação de Lei de cão de assistência

Jéssica Sabbadini - Especial para a Folha
21 mai 2024 às 09:45
- Divulgação
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Aos 19 anos de idade, a influenciadora e programadora Khadije El Zein, hoje com 27, foi diagnosticada com TEA (Transtorno do Espectro Autista) e TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade). Após conviver com os efeitos dos transtornos por longos anos, conseguiu avanços significativos ao descobrir os benefícios dos cães de assistência. 


Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade

Desde 2022, seu companheiro inseparável é o Luffy, um labrador de pelagem escura que veio de Santa Catarina e foi indicado para atender as necessidades da jovem. Nas redes sociais, que já contam com mais de 100 mil seguidores, ela compartilha o dia a dia com o cão.

Leia mais:

Imagem de destaque
Terá debate após a sessão

Espaço Villa Rica exibe o filme 'A Filha do Palhaço'' nesta quinta-feira em Londrina

Imagem de destaque
Localizada na zona sul

Escola municipal de Londrina fica em primeiro lugar no Concurso Escola Sustentável 2024

Imagem de destaque
Boletim semanal

Londrina registra mais sete mortes por dengue e 1,3 mil novos casos confirmados

Imagem de destaque
Zona oeste

Em Londrina, UPA Sabará deixa de ser exclusiva para dengue a partir desta quarta


Inseparável porque uma lei municipal de Londrina, em vigor desde março de 2023, garante a ela o direito de frequentar espaços públicos e privados com seu cão. Mas como a lei restringe o benefício a pessoas com o Transtorno do Espectro Autista, El Zein resolveu encabeçar um movimento para que pessoas com diferentes deficiências, transtornos e doenças possam estar sempre acompanhadas de seus cães de assistência.

Publicidade


A programadora procurou os vereadores Jairo Tamura (União Brasil) e Mara Boca Aberta (Podemos), autores do projeto que criou a Lei N° 13.555, para reivindicar a alteração. Em nota conjunta à FOLHA, os vereadores afirmaram ser de "extrema importância" as sugestões de ampliação da lei para abranger novos grupos que podem se beneficiar dos cães de assistência. 


Publicidade

“Estaremos analisando um novo projeto para incluir na lei que já foi sancionada para que a gente possa ampliar o uso de cães de assistência em todos os sentidos, o que pode ser útil para a população que precisa e necessita desses cuidados”, afirmaram os vereadores em nota conjunta. 


El Zein espera que o Legislativo se sensibilize e que mais pessoas possam tirar proveito da companhia dos animais que recebem treinamento intenso para que possam auxiliar os tutores durante crises epilépticas, depressivas, de ansiedade, síndrome do pânico, assim como ajudam pessoas celíacas, diabéticas, surdas, cegas, entre outros grupos. 

Publicidade


"São cães treinados especificamente para ajudar uma pessoa com sua deficiência, doença ou transtorno e que realizam tarefas específicas que podem auxiliar essa pessoa”, defende.


O amor pelos animais começou com uma cadela da raça border collie, durante sua estadia durante cinco anos em Foz do Iguaçu. Foi então que ela começou a pesquisar sobre os cães de assistência. El Zein conta que conversou sobre o assunto com o seu psiquiatra, que concordou que ter um cão de assistência poderia contribuir para o quadro de saúde dela.


Como a border collie não havia sido treinada para ser um cão de assistência, ela precisou buscar outro cachorro. Foi então que ela adotou o Luffy, há dois anos. Desde agosto do ano passado, ele passa por treinamento intensivo em Santa Catarina e deve retornar no final do mês de julho.


Leia a reportagem completa na FOLHA DE LONDRINA:


Imagem
Influenciadora cobra ampliação de lei de cão de assistência
Khadije El Zein, diagnosticada com TEA e TDAH, compartilha benefícios de cães de assistência e luta por direitos ampliados para todos.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade