29/01/20
32º/19ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Estrondo

Moradores da zona norte relatam tremores nesta quarta

Roberto Custódio/Grupo Folha
Roberto Custódio/Grupo Folha


Moradores de bairros da zona norte de Londrina relataram à reportagem e nas redes sociais que sentiram um tremor por volta das 14h50 desta quarta-feira (24). Alguns afirmaram em postagens no Facebook que portas e janelas chegaram a tremer e ficaram muito assustados com a situação. Bruno Cândido afirmou à reportagem que sentiu o tremor no Jardim Catuaí, no Cinco Conjuntos. "Senti com tanta intensidade que parecia que tinham batido na porta. Sabe quando dá aquele estouro quando troveja forte?", explica. "Uma amiga minha no Gavetti [Conjunto Habitacional Milton Gavetti] e minha sogra no Violin [Conjunto Violin] também sentiram", acrescenta.


Conforme o geólogo José Paulo Pinese, professor de geologia da UEL (Universidade Estadual de Londrina), ainda não há registro formal de tremor na base sismográfica. "Quando é um tremor de alta magnitude, a máquina já registra automaticamente. Mas quando remete a um evento de baixa magnitude é preciso fazer uma revisão manual, que leva mais tempo", explica. Ainda segundo Pinese, o evento pode ser semelhante ao que ocorreu no Jardim Santa Rita em 1º de agosto deste ano. Na ocasião, a informação dos tremores também chegou até o geólogo e a Defesa Civil por meio de relatos de moradores do bairro. O tremor atingiu 0,8 graus na escala Richter no Jardim Santa Rita.

O professor ressalta que até o momento a atividade foi registrada pelos moradores, mas até as 17h40 não havia registro sísmico. "No entanto, não vejo motivo para um alarde maior a respeito do caso. Os eventos aqui em Londrina têm sido sempre de baixa magnitude. Este é mais um na lista que está sendo investigado." "É importante explicar também que pode ser que não seja uma atividade sísmica. Pode ser uma outra atividade que desconhecemos. Pode ser até uma pedreira", pontua.

Mesmo em baixa magnitude os tremores causam preocupação e susto nas pessoas, mas Pinese declara que se fosse algo grave, o departamento junto com a Defesa Civil já teria alertado a população. "Não parece ser algo grave. Agora, precisamos aguardar a confirmação manual da máquina. E depois continuaremos o processo de estudo."

O professor orienta aos moradores que tiverem sentido o tremor e ouvido o forte estrondo para registrarem os relatos no site Centro de Sismologia USP. Na página principal do site, há um botão "Sentiu aí?" para que as pessoas possam deixar seus depoimentos. "Isso é muito importante para que os estudos possam ser realizados", completa.

Outros tremores

Neste ano, dois tremores confirmados foram registrados na cidade. Em janeiro, a base registrou uma movimentação na zona sul, perto do Centro de Eventos. O fenômeno também foi de baixa intensidade e, na época, a explicação relacionada à movimentação de rochas. Assim como no mês de agosto, no Jardim Santa Rita.
Fernanda Circhia - Reportagem Local
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
comentários
Continue lendo
2,1 graus na escala Richter

Tremor na zona norte de Londrina foi causado por movimentação de rochas

2,1 graus na escala Richter

Centro de Sismologia da USP registra tremores entre Ibiporã e Londrina

2,8 graus na escala Richter

Centro de Sismologia registra tremor em cidades do Paraná

Plano Anual de Financiamento

Dívida pública pode alcançar até R$ 4,75 trilhões em 2020

Veja mais e a capa do canal