Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Julgamento

Paulo Arildo é advertido pelo PSDB

Danilo Marconi - Portal Bonde
03 out 2009 às 20:12
Paulo Arildo ainda responde ação civil por suposta apropriação indevida de salário de ex-assessores. - Arquivo Bonde
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A Comissão de Ética do Diretório Municipal do PSDB determinou aplicação de advertência ao vereador Paulo Arildo (PSDB). O parlamentar respondia processo interno por quebra de decoro por suposta partilha de salário com assessores. O julgamento ocorreu neste sábado (3), em Londrina, em mais de três horas de sessão.

"Entendendo que ele era réu primário e após reconhecer que agiu mal, que falhou como partidário e deixou ser criada toda confusão, a Comissão de Ética advertiu o vereador", disse o presidente do partido, Claudemir Molina. Ele apenas assistiu o julgamento, por ser suplente do parlamentar na Câmara.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Foram 17 votos pela advertência, 13 pediram pena mais alta (suspensão ou expulsão) e uma abstenção. "Agora estou mais tranquilo, mais aliviado. Nunca tinha passado por algo semelhante. Não posso esconder que Deus está presente na minha vida, que venci com Ele de novo", suspirou Paulo Arildo.

Leia mais:

Imagem de destaque
Saiba mais

Bacia do Tibagi sofre com efeitos climáticos, diz pesquisadora da UEL

Imagem de destaque
Estreia

'Boteco da Carol Romanini', em Londrina, une jornalismo e entretenimento em podcast

Imagem de destaque
Estruturas estão precárias

Prefeitura de Londrina não tem data certa para reformar pontes do Igapó

Imagem de destaque
Ajude como puder!

Corpo de Bombeiros de Maringá precisa de voluntários para organizar doações feitas para o RS


"Fui ingênuo. Agi errado. Meu erro foi de ter acreditado neles (assessores) e não ter processado naquele periodo (ano passado) e deixar atingir o partido", avaliou.

Claudemir Molina admitiu falhas no processo. "Os elementos de provas do nosso processo disciplinar não tem o alcance do Ministério Público. Tivemos limitação nas provas", concluiu. O MP tem convicção do crime praticado por Paulo Arildo, tanto que denunciou o parlamentar, que responde ação civil pública.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade