Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Só fachada

Polícia fecha posto de combustível clandestino

Heloísa Prado - Bonde
29 nov 2006 às 19:02
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Duas equipes do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) fecharam, na tarde desta terça-feira (28), um posto de combustível clandestino, no Parque das Industrias Leves, em Londrina. O proprietário do local usava uma envasadora de álcool como fachada para vender álcool combustível. Um representante do Comitê Sul-Brasileiro de Combustíveis também acompanhou a ação policial.

"A Envasadora Tubarão era fachada para vender álcool combustível. Uma evasadora é como uma embaladora de álcool comum. O álcool combustível jamais poderia ser envasado. A Envasadora não tem autorização da Agência Nacional de Petróleo", explicou o delegado-chefe do Cope, Miguel Stadler.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Há uma semana, o Cope investigava o local. Segundo o delegado, durante a ação, a polícia percebeu a grande procura pelo álcool vendido naquele local. "Aqui se vendia álcool por R$ 1,35 o litro, enquanto em toda região ele é vendido perto de R$ 1,55", explicou o delegado. Stadler ainda comentou que os veículos não entravam no local para abastecer.

Leia mais:

Imagem de destaque
Neste domingo

Missa na Paróquia Nipo-brasileira de Londrina celebra os 116 anos da imigração japonesa

Imagem de destaque
Evento Gratuito

Gestão sustentável e uso de tecnologias em condomínios são destaque da terceira edição do Inova Síndico

Imagem de destaque
Inovação Científica

UEL desenvolve cosmético para pele que combate bactérias multirresistentes

Imagem de destaque
150 músicos

Terceiro Encontro de Bateristas em Londrina está com inscrições abertas


Segundo o coordenador do Procon de Londrina, Gerson da Silva, os clientes iam até o local, enchiam galões com bicos adaptadores nos bocais para encaixar nas entradas dos tanques dos veículos. "É uma irregularidade muito grave, porque transportar combustível inadequadamente é muito perigoso", ressaltou Silva.


Silva informou que o Procon recebeu uma denúncia do Sindicato dos Combustíveis do Paraná que afirmava que várias envasadoras da cidade estariam vendendo álcool combustível clandestinamente. "Foi assim que começamos a fazer o levantamento. Depois alertamos a polícia que prontamente nos atendeu", disse.

A polícia informou que oito galões adaptados foram apreendidos. O delegado não encontrou o proprietário do local, que deve ser autuado por crime ambiental e crime contra economia, mas encaminhou um funcionário para a delegacia. O detido prestará esclarecimentos sobre o caso.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade