Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Encrencado

Vereador é preso por peculato em Londrina

Redação Bonde
14 out 2009 às 09:32
Após a prisão, Rodrigo Gouvêa foi levado ao Gaeco, para ser interrogado, mas só falará em juízo; ele está detido no CDR - Eduardo Anizelli/Equipe Folha
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O vereador Rodrigo Gouvêa (PRP) foi preso no final da tarde desta terça-feira (13), em Londrina, pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado). O parlamentar estava em via pública, no centro da cidade.

Quem pediu a prisão do vereador por suposto crime de peculato foram os promotores públicos de Londrina. Rodrigo Gouvêa também é acusado por contratar funcionária fantasma por três meses. Maria Aparecida Vieira receberia R$ 2 mil por mês, mas não dava expediente na Câmara.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


"O crime de peculato se configura em virtude do fato que o dinheiro público, destinado por lei para o pagamento de funcionários públicos, eram entregues a uma pessoa para fins particulares, sem que esta prestasse serviços em favor da Câmara", explicou o promotor Claudio Esteves.

Leia mais:

Imagem de destaque
Saiba mais

Bacia do Tibagi sofre com efeitos climáticos, diz pesquisadora da UEL

Imagem de destaque
Estreia

'Boteco da Carol Romanini', em Londrina, une jornalismo e entretenimento em podcast

Imagem de destaque
Estruturas estão precárias

Prefeitura de Londrina não tem data certa para reformar pontes do Igapó

Imagem de destaque
Ajude como puder!

Corpo de Bombeiros de Maringá precisa de voluntários para organizar doações feitas para o RS


O pedido de prisão preventiva foi acolhido pela juíza da 4º Vara Criminal, Carla Pedalino, por tentar garantir a ordem pública e instrução processual. "A própria denuncia descreve crime de constrangimento ilegal. Pouco antes de se iniciar um procedimento na Câmara, houve notícia de ameaça de ex-assessor que teria condições de revelar que Maria Aparecida não prestava serviços efetivos. Em virtude dessas ameaças, aliadas a outras questões, é que nós solicitamos a prisão e a Justiça acolheu o pedido", disse.


O vereador foi encaminhado ao Centro de Detenção e Ressocialização de Londrina. Ele não prestou depoimento no Gaeco, apenas vai falar em juízo. "A fase de investigação está encerrada. Após o oferecimento da denúncia, será marcado interrogatório. Não há motivo para inferição", explicou.

Rodrigo Gouvêa não compareceu a sessão da Câmara, realizada na tarde desta terça-feira. Ele já foi denunciado pelo Ministério Público por corrupção passiva e improbidade administrativa.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade