Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Atenção!

Vigilância Ambiental de Londrina recolhe mais de 500 escorpiões em 2022

Micaela Orikasa - Grupo Folha
14 nov 2022 às 09:09
- Mario Inácio da Silva/Vigilância Ambiental
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Situações envolvendo animais peçonhentos em Londrina, principalmente com escorpiões, aumentam neste período do ano. 


De acordo com a Vigilância Ambiental do município, desde o início deste ano foram coletados 504 escorpiões e o CIATox (Centro de Informações e Assistência Toxicológicas) do HU/UEL (Universidade Estadual de Londrina) já registrou 200 casos de picadas de escorpião na cidade.  

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Segundo o agente de endemias Mario Inácio da Silva, da Vigilância Ambiental do município, as equipes realizaram 708 visitas técnicas em todas as regiões da cidade, desde o início do ano. 

Leia mais:

Imagem de destaque
Fluxo grande de visitantes

CMTU credencia ambulantes para a venda em cemitérios no Dia das Mães

Imagem de destaque
Incentivo para participar das eleições

TRE-PR e Câmara de Londrina se unem para incentivar participação nas eleições

Imagem de destaque
Garantir a segurança

Patrulha Escolar reforça policiamento nos colégios estaduais de Londrina

Imagem de destaque
Neste sábado (20)

Cine Diversidade exibe documentário sobre ativista trans Marsha P. Johnson


“Hoje, não temos uma região específica com maior incidência. É a cidade toda. E em boa parte das casas encontramos os escorpiões em meio a rachaduras, em espaços de obras inacabadas, madeiras e entulhos acumulados nos quintais”, afirma. 

Publicidade


Ele esteve presente na sessão da Câmara de Vereadores de Londrina na última quinta-feira (10), apresentando os dados da Vigilância Ambiental relacionados a esses animais.  


De acordo com ele, o surgimento de escorpiões é maior neste período do ano devido à situação climática, com dias muito quentes e chuvosos. 


“O escorpião amarelo é um animal que se adaptou muito bem ao perímetro urbano e na primavera ele se torna mais ativo, procurando alimento, principalmente baratas, além de abrigo”, diz.


Leia a reportagem completa na FOLHA DE LONDRINA.

Publicidade

Últimas notícias

Publicidade