Pesquisar

Canais

Serviços

- Divulgação
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Em nome de Deus

Pastores são detidos em meio a culto irregular por trabalho escravo infantil em Maringá

Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
23 jul 2021 às 17:42
Continua depois da publicidade

Três líderes religiosos da mesma família foram detidos pelo aliciamento de pelo menos cinco crianças e adolescentes com intuito de submetê-las ao trabalho escravo, nesta sexta-feira (23), em Maringá.

Continua depois da publicidade


Na operação, a polícia civil também apreendeu computadores, celulares, tablet, máquina fotográfica, máquinas de cartão, celular, pen drive, HD externo, arma e munições. Além de uma quantia superior a R$ 15 mil.

Continua depois da publicidade


A família comandava a venda de pizzas feitas em uma igreja e aliciava os menores para um propósito divino. A Vigilância Sanitária confiscou ainda 200 pizzas, que seriam vendidas pelas pelas crianças.


Até Deus?

Continua depois da publicidade


Em nome de uma ação divina, os líderes religiosos alvos da operação, pai, mãe e filho, comandavam a venda de pizzas feitas em uma igreja, comercializadas em Maringá e cidades da região. Assim, eles convenciam as crianças de que aquele era o propósito de Deus e que o dinheiro seria doado para crianças com câncer.


Após o aliciamento, os menores eram submetidos ao trabalho forçado, em jornada excessiva. Os suspeitos ainda obrigavam as crianças a prestar contas relacionadas às vendas de pizzas, por meio de ameaças e agressões físicas e verbais.


Um dos adolescentes, de 13 anos, foi subtraída dos pais para trabalhar como empregada doméstica na casa da família de pastores. Os pais que tentavam contestar os métodos do grupo também eram agredidos e ameaçados.


Descumprimento do decreto


No local, a polícia ainda flagrou o descumprimento do decreto com as medidas de prevenção ao coronavirus. O o pastor tentou enganar os agentes ao ser flagrado em culto, alegando que era apenas uma reunião de pessoas que moravam na igreja, que era reincidente e já foi multada em R$ 5,9 mil, embargada e fechada na semana anterior.


Divulgação
Divulgação


Apreensão


A vigilância sanitária ainda apreendeu diversos produtos armazenados de maneira imprópria para consumo sem data de validade e procedência. Uma multa será aplicada. Confira o que foi apreendido:

- 182 pizzas prontas
- 570 massas para pizzas
- 6 unidades de 2 quilos de embutido
- 2 unidades de 4 quilos de queijo
- 4 unidades de 1 quilo de lombo
- 5 unidades de 500 gramas de linguiça
- 9 embalagens com cheddar cremoso
- 9 embalagens com requeijão
- 20 quilos de presunto e mortadela em pedaços


Continue lendo