Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Segurança Pública

População faz manifestação contra violência em Pontal

Maigue Gueths - Redação Bonde
18 jun 2012 às 14:20
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Dezenas de pessoas participaram, no domingo (17), de uma manifestação pedindo mais segurança em Pontal do Paraná, no Litoral do estado. O protesto aconteceu um dia depois do enterro da adolescente Emanuelle Jackiwiski , de 16 anos, que sofreu violência sexual e depois foi estrangulada no Balneário Santa Terezinha, naquele município. Familiares e amigos vão fazer uma nova manifestação nesta terça (19).

Emanuelle estava voltando da escola, na tarde de quinta-feira (14) quando foi abordada por uma pessoa a 100 metros da casa onde morava. Emanuelle era filha de um policial militar.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


O delegado de Matinhos, Messias da Rosa, que também está respondendo pela delegacia de Pontal, está ouvindo depoimentos de possíveis suspeitos. Ele ia pedir na Justiça a quebra do sigilo do telefone celular da adolescente, que foi furtado.

Leia mais:

Imagem de destaque
Garantindo a manutenção

Paraná: Sanepar vai investir R$ 11,2 bilhões em obras até 2028 para universalizar saneamento

Imagem de destaque
Unicentro de Guarapuava

Nova espécie de abelha é descoberta por professora no Paraná

Imagem de destaque
Remuneração será mantida

Desembargador que chamou mulheres de 'desesperadas por homens' é afastado pelo CNJ

Imagem de destaque
Sem licença ou origem legal

Polícia Ambiental orienta como fazer a devolução voluntária de animais silvestres


Outros casos

Publicidade


Este é quarto caso semelhante registrado no Litoral nos últimos tempos. Em março, Laura Joice Antunes de Paula, de 23 anos, mulher de um policial militar, foi morta em Pontal. O corpo dela mostrava várias marcas de violência. Laura tinha saído para andar de bicicleta


Em abril, em Guaratuba, Vânia Rodrigues França, de 29 anos, também foi encontrada morta, dentro de uma valeta e com sinais de violência. Ela também tinha saído de bicicleta.

Já em junho de 2010, no balneário de Shangri-lá, também em Pontal do Paraná, a psicóloga Telma Fontoura, sobrinha do ator Ary Fontoura, saiu para caminhar pela praia de tarde e não mais voltou. O corpo foi encontrado enterrado na orla entre os balneários de Shangri-lá e Barrancos. Em novembro de 2011, Paulo Estevão de Lima, o Paulinho do Brejo, foi condenado pelo júri popular pela morte de Telma.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade