Pesquisar

Canais

Serviços

Reprodução
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Contrato com empresa sem licitação

Prefeito de Porecatu tem mais de R$ 23 mil em bens bloqueados

Rafael Machado/ Grupo Folha
24 set 2021 às 16:37
Continua depois da publicidade

O juiz substituto da Vara da Fazenda Pública de Porecatu, Malcon Jackson Cummings, atendeu um pedido do Ministério Público e bloqueou em pouco mais de R$ 23 mil os bens do prefeito da cidade, Fábio Luiz Andrade (PSD), e uma empresa de internet banda larga. A decisão liminar saiu nesta quinta-feira (23). 

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Acusado de improbidade administrativa, Andrade teria admitido a terceirizada sem licitação. O contrato para fornecimento de internet de alta velocidade por 12 meses foi assinado em 2016, mas  terminou oficialmente em agosto de 2018. O problema é que o acordo continuou mesmo assim, de forma "verbal e precária", como considerou o MP,  até o mês passado. 

Continua depois da publicidade


O magistrado concordou com os argumentos apresentados. "A realização de aquisições sem licitação, por si só, lesa o interesse público, ferindo os princípios da legalidade e da moralidade". Pesou ainda o fato do prefeito e o dono da empresa terem confessado a irregularidade em depoimentos ao Ministério Público. 


Em entrevista à FOLHA, Fábio Andrade reconheceu o erro, mas se justificou. "Infelizmente não conseguimos elaborar uma nova licitação, apesar de tentarmos de todas as formas. Os valores desse contrato estão dentro dos praticados no mercado. Aí entrou a correria, campanha política e fomos deixando de lado. Vamos discutir agora na Justiça se houve prejuízo para a prefeitura", explicou. 

Continua depois da publicidade


Leia mais na Folha de Londrina

Continue lendo