Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade

Requião quer retomar a Ferroeste por falta de pagamento

Redação - Bonde
15 jan 2004 às 20:56
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Ferropar, concessionária da ferrovia, depositou parte da primeira parcela devida ao Estado e quer negociar o restante, mas o governador Roberto Requião afirmou nesta quinta-feira, em Brasília, que não aceita renegociar qualquer redução da dívida da Ferrovia Paraná S/A (Ferropar).

"A Ferropar teve sete anos para começar a pagar pela exploração da ferrovia, que foi construída durante o meu primeiro governo e que, em valores atuais, custou quase R$ 1 bilhão aos paranaenses porque foi paga exclusivamente com recursos do Governo", explicou o governador

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Requião também determinou que a direção da Ferroeste inicie o processo administrativo para que o Estado possa decretar a caducidade do contrato, por inadimplência financeira, e retome o controle da ferrovia, que tem 248 quilômetros de extensão e liga Cascavel a Guarapuava.

Leia mais:

Imagem de destaque
Região

Colisão frontal causa morte de motociclista em Rio Branco do Ivaí

Imagem de destaque
1.898 vagas em Londrina

Agências do Trabalhador do Paraná têm 19,5 mil vagas disponíveis

Imagem de destaque
Região

Colisão de caminhonete, duas motos e carro deixa um morto e dois feridos em Rondon

Imagem de destaque
Noroeste

Motociclista morre em colisão frontal contra carro em Cruzeiro do Oeste


"A construção dessa ferrovia foi um desafio para paranaenses por mais de 100 anos e, depois de pronta, deveria estar transportando a safra dos produtores do Oeste do Estado. Mas hoje ela não está cumprindo a sua missão porque a Ferropar é uma empresa que fracassou", afirmou Requião.


Nesta quinta-feira venceu a primeira parcela, no valor R$ 3,2 milhões, que a Ferropar teria que pagar integralmente ao Governo do Estado desde 1997, quando passou a explorar economicamente a Ferroeste e o terminal de Cascavel. Mas o consórcio depositou apenas R$ 553 mil.

Fonte: Agência Brasil (ABr)


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade