Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Cinco anos após o crime

Sete acusados de matar jogador de futebol no Paraná vão a júri popular

Francielly Azevedo - Especial para a Folha
17 mar 2024 às 11:30
- Giuliano Gomes/PR Press/Folhapress
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Quase cinco anos e cinco meses depois, os sete acusados pela morte do jogador Daniel Corrêa Freitas e a família da vítima ficarão frente a frente no júri popular que começa, nesta segunda-feira (18), no Fórum de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. 


O corpo do atleta, na época com 24 anos, foi encontrado por um morador na região rural da cidade, na manhã de 27 de outubro de 2018.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


A expectativa é que o julgamento dure alguns dias, pela complexidade do caso e número de envolvidos. Cerca de 40 testemunhas foram arroladas e 15 advogados, entre defesa e acusação, atuam no processo.

Leia mais:

Imagem de destaque
Você também sentiu?

Abalo sísmico faz a terra tremer em Cambé neste domingo; veja relatos

Imagem de destaque
Vale do Ivaí

Casal de idosos se fere em colisão com trator em Cambira

Imagem de destaque
Saiba mais

Indústria do Paraná emprega quase 39% dos imigrantes

Imagem de destaque
PR-092

Motorista morre após se envolver em atropelamento de animal silvestre e colisão frontal em Joaquim Távora


“Será um júri difícil, trabalhoso. A família do Daniel está em Curitiba para acompanhar esse júri. Será um trabalho árduo da acusação para que a gente consiga ao final uma condenação exemplar para esses criminosos. Estamos otimistas, porque as provas são robustas, o trabalho foi feito com dedicação e aguardamos justiça no fim dos trabalhos do júri”, disse à FOLHA o advogado Nilton Ribeiro, assistente de acusação que representa a família de Daniel.

Publicidade


Dos sete réus, apenas dois permanecem na prisão: Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, que havia conseguido liberdade provisória em outubro de 2019, mas foi detido em flagrante por roubo em 2020; e Edison Brittes Junior, conhecido como Juninho Riqueza, que confessou ter cometido o crime e segue na cadeia desde a época do assassinato.


Respondem em liberdade: Cristiana Brittes e Allana Brittes, esposa e filha de Edison; Ygor King; David William Vollero Silva; e Evellyn Brisola Perusso, que nunca foi presa.


Entre os crimes que serão analisados pelo júri estão homicídio qualificado e triplamente qualificado, ocultação do cadáver, corrupção de menor, fraude processual e coação no curso do processo.


Leia a reportagem completa na FOLHA DE LONDRINA:


Imagem
Sete acusados vão a júri por morte de jogador
Acompanhe o julgamento dos sete acusados pela morte do jogador Daniel Corrêa Freitas e saiba mais sobre o caso que chocou o país. Confira as últimas notícias e informações sobre o andamento do julgamento.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade