Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Pediu para processar

Ex-candidato a vereador de Arapongas é indiciado por discriminação a autistas

Pedro Marconi - Grupo Folha de Londrina
16 mai 2024 às 13:45
- Freepik
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Os comentários preconceituosos foram feitos na postagem no Facebook de uma matéria de um site local sobre uma criança autista que teria pisado no pé de uma pessoa numa lotérica, sendo ameaçada. Sem nenhum tipo de embasamento científico, um homem comparou o autismo com questões espirituais, falta de educação e ainda afirmou que autistas deveriam ser internados. Mesmo sendo repreendido por outros internautas, ele reforçou e defendeu as falas discriminatórias.


O que o homem não esperava é que os textos também chegaram ao conhecimento da Polícia Civil de Apucarana (Centro-Norte) após denúncia, originando a abertura de um inquérito. Após cinco dias de apuração, os investigadores identificaram e localizaram o homem, que foi convocado para prestar depoimento da delegacia.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


“Esse cidadão foi devidamente identificado, na quarta-feira (15) foi intimado para comparecer na delegacia e foi interrogado. Mas durante o interrogatório ele exerceu o direito constitucional de permanecer em silêncio e está respondendo este processo em liberdade”, explicou o delegado Marcus Felipe da Rocha.

Leia mais:

Imagem de destaque
Vítima fugiu com as filhas

Com tornozeleira eletrônica, marido ameaça esposa e está foragido em Apucarana

Imagem de destaque
Após ser expulso

Homem se irrita, atira em direção à conveniência e deixa dois feridos em Apucarana

Imagem de destaque
Sertaneja e Rolândia

Polícia Rodoviária Estadual apreende quase meia tonelada de maconha no Norte do Paraná

Imagem de destaque
Veículo será periciado

Viatura da Polícia Militar é incendiada em Rolândia e suspeito está foragido



O inquérito foi concluído e encaminhado ao MP-PR (Ministério Público do Paraná). Ele foi indiciado pelo crime de praticar, induzir e incitar a discriminação contra pessoas em razão de deficiência. “Como ele fez isso por meio da rede social a pena é agravada. É uma forma de qualificadora e pode variar de dois a cinco anos de reclusão”, detalhou.

Publicidade


O responsável pelos comentários, que tem 39 anos, seria um ex-candidato a vereador de Arapongas (Região Metropolitana de Londrina), em que concorreu nas eleições de 2016. O perfil que usava seria falso, no entanto, com o nome parecido o original. “A rede social não garante o anonimato. Se a pessoa usa a rede social para o cometimento de crimes, a Polícia Civil vai investigar, identificar a pessoa e vai fazer com que responda pela prática criminosa, seja com perfis verdadeiros ou falsos”, advertiu o delegado. A reportagem não conseguiu contato com o homem.


Preconceito faz parte da rotina


Mãe de três filhos autistas, que têm cinco, sete e 13 anos, Cristina Pedroso de Alexandre ficou revoltada com o caso. “Extremamente impactada com a crueldade. Como mãe atípica me dói ler palavras tão cruéis”, resumiu a moradora de Apucarana, que faz parte do conselho da AMAA (Associação de Pais e Amigos dos Autistas Apucaranenses).


CONTINUE LENDO NA FOLHA DE LONDRINA

Publicidade

Últimas notícias

Publicidade