Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Tragédia no colégio

'Herói' de Cambé correu para escola ao ouvir tiros e se passou por policial para conter atirador

Pedro Marconi - Grupo Folha de Londrina
20 jun 2023 às 14:58
- Gustavo Carneiro - Folha de Londrina
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Assim que ouviu o barulho dos tiros, Joel de Oliveira correu para o colégio estadual Professora Helena Kolody, em Cambé (Região Metropolitana de Londrina). “Vi gente correndo e fui ver o que estava acontecendo. Entrei pelo portão principal e vi as marcas de tiro”, relembrou. O serralheiro é terceirizado e trabalhava na manutenção de uma clínica de reabilitação que fica na rua ao lado da escola. Foi ele quem segurou o atirador de 21 anos até a chegada da PM (Polícia Militar).


“Fui pelo corredor que vai até o fundo e vi um vulto. Quando cheguei encontrei ele (atirador) do outro lado. Minha reação foi falar que era policial. Eu estava com o celular na mão e acredito que ele achou que era uma arma. Parou e foi quando consegui dominá-lo”, contou. “Quando falei que era policial ele estava sem a arma na mão”, acrescentou.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Imagem
"Estavam felizes com o namoro e tinham planos futuros", diz pai de adolescente assassinada em escola de Cambé
Dilson Antônio Alves, pai de Karoline Verri Alves, que foi vítima do ataque a tiros no Colégio Helena Kolody, em Cambé, pediu orações pela sua família e pela família de Luan Augusto.


Joel afirmou que enquanto mantinha o assassino “preso”, ele não esboçava reação. “Perguntei se tinha mais alguma arma e falou que não. Acredito que se ele visse que não tinha alguém ali (para o deter), ia carregar as armas e voltar a atirar”, destacou. De acordo com a Polícia Civil, o jovem disparou pelo menos 16 vezes e estava com 50 munições. Com ele foram apreendidos um revólver e uma machadinha.

Leia mais:

Imagem de destaque
Operação Fim da Linha

Entenda como funciona a lavagem de dinheiro do PCC em empresas de ônibus em São Paulo

Imagem de destaque
No centro

Homem suspeito de tráfico de drogas "delivery" é preso em Arapongas com mais de R$ 13 mil

Imagem de destaque
Iria para Curitiba

Carro é flagrado com 73,25 kg de cocaína em fundo falso em Ibiporã

Imagem de destaque
BR-277

Duas pessoas morrem em engavetamento envolvendo seis veículos em Guarapuava


Pai e avô, o serralheiro disse que as cenas que encontrou dificilmente serão esquecidas. “Vi vidros estilhaçados no chão e depois que o policial chegou para prender, fui mais para o fundo e vi as vítimas. Foi um horror. Não podemos esperar que isso pudesse acontecer dentro de uma escola”, se emocionou.


CONTINUE LENDO NA FOLHA DE LONDRINA

Imagem
Homem que impediu atirador de continuar ataque trabalhava ao lado do colégio
Serralheiro se apresentou como policial e segurou assassino até a chegada das viaturas: “foi um horror”
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade