Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Londrina

Justiça determina perda de cargo e aumento de pena para PM que estuprou moradoras de rua

Luís Fernando Wiltemburg - Redação Bonde
29 mar 2024 às 14:05
- Pedro Marconi - Grupo Folha
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O juiz da 4ª Vara Criminal de Londrina, Ernani Scala Marchini, decidiu pela perda do cargo do policial militar condenado por estuprar duas mulheres em situação de rua em Londrina, em dezembro de 2022 e janeiro de 2023, nas imediações da Rua Belém. Ele também teve a pena aumentada de 13 anos para 16 anos e dois meses em regime fechado. O despacho foi proferido nesta quinta-feira (28).


Segundo o advogado das vítimas, Mauro Martins, a decisão atende a pedidos feitos em embargos de declaração. Das quatro teses apresentadas para aumentar a pena, o juiz acatou duas: o fato de ter violado a vida profissional e por ter praticado o crime contra pessoas de extrema vulnerabilidade. “São pessoas que vivem nas ruas e dependentes químicas”, recorda o advogado.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


O PM foi condenado criminalmente, em fevereiro deste ano, a 13 anos e seis meses de prisão em regime fechado. Em agosto do ano passado, o Estado do Paraná foi condenado a indenizar três vítimas do servidor público – além dos dois estupros, ele ainda teria praticado outros abusos contra uma terceira moradora de rua, tudo em horário de serviço.

Leia mais:

Imagem de destaque
Fiscalização

Operação Lei Seca em Londrina aplica 26 autos de infração e recolhe 7 veículos

Imagem de destaque
Cão Airon achou

Homem é preso com 21,650 kg de maconha em ônibus em Rolândia

Imagem de destaque
Estilo 'jogo do tigrinho'

Mulher envolvida na exploração de jogos de azar online é presa em Arapongas

Imagem de destaque
Arma tinha registro

Ladrão invade loja de celular para roubar e dono reage com 5 tiros no Paraná


Imagem
PM de Londrina é condenado a 13 anos prisão por estupro de duas mulheres em situação de rua
O policial militar acusado de estuprar duas mulheres em situação de rua em Londrina foi condenado a 13 anos e seis meses de prisão em regime fechado.
Imagem
Justiça condena Estado a indenizar três vítimas de abuso sexual por PM em Londrina
A 1ª Vara da Fazenda Pública de Londrina condenou o Estado do Paraná a indenizar três mulheres em situação de r

Recorde o caso

Publicidade


Os abusos ocorreram em uma casa abandonada, utilizada como “mocó” para abrigo e uso de entorpecentes, localizada na esquina das ruas Belém e Bahia, no Centro de Londrina. Segundo os relatos, o policial militar teria, no dia 30 de dezembro de 2022, durante horário de serviço, abusado de uma das ocupantes do imóvel, tocando nas partes íntimas da vítima.


No dia seguinte, 31 de dezembro, o mesmo policial teria retornado ao local, fora do horário de serviço, e estuprado a segunda vítima. Ele ainda teria voltado, no dia 15 de janeiro de 2023, e repetido o crime com outra mulher.


A movimentação do policial foi filmada por câmeras de vigilância da região. O caso só veio à tona depois que a terceira mulher decidiu denunciar o caso às autoridades.

Nesta semana, o imóvel em que os crimes aconteceram, que ficou conhecido como "mocó da Rua Belém", foi demolido.


Imagem
Policiais militares desocupam imóvel abandonado da Rua Belém antes de demolição
O imóvel abandonado conhecido como "Mocó da Rua Belém", localizado na região central de Londrina, será demolido. Para isso, policiais do 5º BPM (Batalhão de Polícia Militar) trabalharam na desocupação do local na manhã desta quarta-feira (27).
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade