Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Ninguém foi preso

Operação da Polícia Federal mira fabricação clandestina de produtos animais em Arapongas

Pedro Marconi - Grupo Folha
31 jan 2024 às 13:45
- Divulgação/Polícia Federal
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A PF (Polícia Federal) cumpriu, nesta quarta-feira (31), oito mandados de busca e apreensão em Arapongas, na Região Metropolitana de Londrina. 


A operação, denominada “Ronda Agro”, foi feita em conjunto com servidores do Ministério da Agricultura e Pecuária. Os alvos, que são da mesma família, são suspeitos de fabricar e comercializar de maneira ilegal produtos alimentícios e terapêuticos para animais, principalmente aqueles de grande porte.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


O grupo teria criado quatro empresas na cidade, no entanto, algumas estavam sediadas formalmente em endereços residenciais, o que também levantou indícios de que sejam escritórios de fachada. 

Leia mais:

Imagem de destaque
Norte Pioneiro

Donos de sítios são autuados em R$ 315 mil por destruição de vegetação de Mata Atlântica em Cambará

Imagem de destaque
Inacreditável

Mãe explorava filha de 13 anos por R$ 100 em motel; 3 são presos

Imagem de destaque
Desvio de doações

Jornalistas indiciados por 'escândalo do pix' movimentaram R$ 3,4 milhões em um ano

Imagem de destaque
Envolvimento com tráfico

Ataque a tiros em festa infantil deixa pai, filho e prima mortos em MG


“Essas empresas não tinham registro no Ministério da Agricultura, mas mesmo assim fabricavam clandestinamente estes produtos. Para dar ar de legalidade, eles falsificavam o selo de inspeção federal e colocavam nas embalagens”, relatou o delegado Joel Ciccotti.

Publicidade


A comercialização dos produtos acontecia por meio da internet ou diretamente com os agricultores. Segundo a Polícia Federal, um casal seria o principal responsável por comandar o esquema criminoso. 


“(Os alvos foram) quatro pessoas jurídicas e cinco físicas. Acreditamos que algumas delas sejam apenas laranjas que figuram no contrato social das empresas, mas não têm poder de gestão, não administram”, destacou.

Publicidade


Ninguém foi preso nesta etapa da investigação. “Vamos analisar o que foi apreendido, como celulares, computadores e documentos, e verificar se existem outras pessoas (envolvidas) e se há necessidade de alguma outra medida cautelar. Se precisar vamos representar outra medida ou encerrar investigação e entregar para o Ministério Público”, explicou.


RISCOS


A informação obtida pelos agentes é de que a fabricação dos materiais ainda era rudimentar, oferecendo risco para a segurança alimentar dos animais e, como consequência, possibilidade de danos à saúde humana.


Leia a reportagem completa na FOLHA DE LONDRINA:


Imagem
Operação mira fabricação clandestina de produtos animais em Arapongas
Polícia Federal, junto com Ministério da Agricultura, cumpriu oito mandados de busca e apreensão; alvos são da mesma família
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade