Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Suspeita de tortura

Polícia afasta delegados após denúncias do caso Tayna

Redação Bonde
11 jul 2013 às 19:12
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Dois delegados foram afastados de suas respectivas atuações na Região Metropolitana de Curitiba após as suspeitas de tortura praticadas contra os presos acusados de matar a adolescente Tayna Adriane da Silva, 14 anos, morta em Colombo no último dia 28 de junho.

Foram afastados os delegados Agenor Salgado Filho, da Divisão de Polícia Metropolitana, que será assumida por Jairo Estorilo, e Silvan Rodney Pereira, da delegacia do Alto Maracanã, em Colombo, que passará à responsabilidade do delegado Erineu Sebastião Portes, que acumulará a função também na Delegacia de Colombo.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Na sexta-feira (12), a Polícia Civil deve divulgar as delegacias para as quais os delegados afastados serão removidos.

Leia mais:

Imagem de destaque
Com 11,3 Kg de Maconha

Homem que transportava drogas no interior da mala é preso em Rolândia

Imagem de destaque
Vingança

Quatro membros de uma mesma família são presos por homicídio no Noroeste do PR

Imagem de destaque
Corpo foi localizado na terça

Quatro homens são presos por homicídio e ocultação de cadáver no Noroeste do PR

Imagem de destaque
Novas evidências

Polícia investiga incêndio em restaurante como estelionato; proprietário nega envolvimento


Enquanto isso, a Seccional do Paraná da Ordem dos Advogados do Brasil vai pedir à Justiça Federal para que investigue o caso de denúncias de tortura aos presos que ainda são acusados da morte de Tayna. Ainda de acordo com a OAB-PR, as comissões de Defesa dos Direitos Humanos, Advocacia Criminal e Defesa das Prerrogativas do órgão devem acompanhar as investigações sobre a morte da adolescente.


O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) também abriu um procedimento investigatório paralelo ao da Polícia Civil. Promotores de Justiça estiveram nesta quinta-feira (11) na Casa de Custódia de Piraquara para iniciar as investigações. Eles recolheram as roupas usadas pelos presos e os suspeitos serão encaminhados para um novo exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal.

Há suspeita de que os quatro presos pela morte de Tayna tenham sido torturados e forçados a assumir a culpa pelo crime. Um deles foi encaminhado para o Complexo Médico Penal por causa dos ferimentos causados pela suposta tortura. O Instituto de Criminalística ainda não confirma se os suspeitos são, de fato, os culpados pelo crime.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade