Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Ex-deputado

Delator do mensalão, Roberto Jefferson diz que 'não se arrepende'

Agência Estado
14 nov 2013 às 21:15
- Marcello Casal Jr/ABr
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Recolhido em sua casa na pequena Comendador Levy Gasparian, cidade da Região Serrana do Rio na divisa com Minas Gerais, o ex-deputado federal Roberto Jefferson, delator do esquema do mensalão, afirmou nesta quinta-feira, 14, em seu blog e pelo Twitter que não se arrepende do que fez, e que acredita que a política brasileira pode melhorar daqui por diante.

O primeiro texto, sob o título "Nem tudo está perdido", foi publicado às 9h56: "Há oito anos denunciei ao País o maior escândalo que jamais presenciei no Planalto Central desde que me tornei deputado. Tudo realizado por quem, por décadas, apontou o dedo para muitos, acusando-os de corruptos, dando início à nefasta judicialização da política brasileira."

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


E continuou: "Fui cassado e tive meus direitos suspensos por 10 anos; ontem, a Corte Suprema do meu País decretou minha prisão. Estou satisfeito com a decisão? Mentiria se dissesse que sim; conforta-me, porém, a crença de que a política brasileira, daqui para a frente, pode ser melhor".

Leia mais:

Imagem de destaque
Indicado por Lula

Flávio Dino toma posse como ministro do STF nesta quinta-feira

Imagem de destaque
'não é um político tradicional'

Haddad afirma que fala de Lula sobre Gaza foi grito de socorro

Imagem de destaque
Manifestação na Av. Paulista

Bolsonaro pode ser preso se incitar crime durante ato no domingo na avenida Paulista

Imagem de destaque
Tentativa de golpe

Bolsonaro tem novas derrotas no STF ao tentar afastar Moraes de inquérito e ser dispensado de ir à PF


Às 9h58, mudou de assunto. Uma postagem breve, de título "Voltamos quando Deus quiser", dizia: "Amanhã o Brasil comemora a Proclamação da República. Um bom feriado a todos. E não esqueçam: se forem dirigir, não bebam."

Publicidade


Quarenta minutos depois, ele voltou a se manifestar: "Não (tenho arrependimentos), tudo certo. Não me regozijo, sou um réu condenado como todos os outros, vamos aguardar que se cumpra o destino".


De manhã, Jefferson fez fisioterapia e apareceu na porta de casa, que ficou cercada por jornalistas. Estava com sua mulher, Ana Lucia Novaes. Afirmou que não sabia se iria se apresentar à Polícia Federal, no caso de sua prisão ser decretada, ou se esperaria em casa. " Vou combinar com meu advogado, vou aguardar, tenho até o fim do dia".

À tarde, embora a sogra do ex-deputado, Marlene, tenha chegado a dizer que Jefferson se manifestaria, ele permaneceu dentro de casa e não falou com os jornalistas. O ex-deputado teria sido orientado por advogados a não falar para não prejudicar a estratégia de sua defesa.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade