Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Homicídio

Deputados estaduais ouvem investigadores de assassinato de petista em Foz do Iguaçu

Guilherme Marconi/Grupo Folha
19 jul 2022 às 09:45
- Sandro Nascimento/Alep
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Dois dos três parlamentares da comissão de acompanhamento da AL (Assembleia Legislativa) do Paraná estiveram em Foz do Iguaçu (Oeste) nesta segunda-feira (18) para ouvir testemunhas e autoridades ligadas ao processo de investigação da morte do Guarda Municipal e militante do PT Marcelo Arruda, que foi assassinado a tiros pelo policial penal bolsonarista Jorge José Guaranho no sábado, dia 9 de julho . 

 

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade

Os deputados estaduais Delegado Jacovós (PL) e Tadeu Veneri (PT) ouviram Pâmela Suellen Silva, viúva de Marcelo; Iane Cardoso, a delegada de Homicídios de Foz do Iguaçu que iniciou as investigações até a chegada da força-tarefa da Divisão de Homicídios do Estado, e o promotor de Justiça Tiago Lisboa Mendonça, na sede do Gaeco. Os deputados também foram ao local do crime, a Associação Recreativa Esportiva Segurança Física de Itaipu (Aresf). A esposa de Guaranho foi procurada, mas não aceitou ser ouvida sem a presença de advogados. 

Leia mais:

Imagem de destaque
Relações internacionais

De Lula 1 a Lula 3, Brasil busca cavar espaço global em tensão com os EUA

Imagem de destaque
Quarta-feira

Julgamento em Londrina que pode cassar Mara Boca Aberta será dia 29

Imagem de destaque
R$ 30 mil

TSE multa Flávio, Zambelli e outros bolsonaristas por associar Lula a satanismo

Imagem de destaque
Segurança pública

Câmara aprova PL que reajusta salários e prevê alta de 27% a delegados da PF

 

Segundo Veneri, o papel da comissão é cobrar celeridade da Sesp (Secretaria de Segurança Pública) no caso e fiscalizar o andamento das investigações para que o processo seja conduzido com transparência e rigor. Ele elencou dois pontos cruciais que serão encaminhados pela grupo. Uma das demandas é que seja feita uma força-tarefa pela Polícia Científica do Estado para  entregar o quanto antes a perícia dos celulares e outros documentos que fazem parte do inquérito policial. Principalmente no celular do policial penal. "O inquérito foi entregue na última quinta-feira (14) e o celular, só um dia antes, na quarta-feira (13). É importantíssima essa perícia e vamos solicitar que o Ministério Público tenha acesso rápido ao conteúdo."


Contine lendo na FOLHA

Publicidade

Últimas notícias

Publicidade