Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Senadora ruralista

Kátia Abreu critica rigor de ambientalistas no Brasil

Agência Estado
18 jun 2012 às 17:10
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Na apresentação do documento de posicionamento do setor agropecuário para a Rio+20, a senadora Kátia Abreu (PSD-TO)criticou nesta segunda-feira o rigor da atuação de ambientalistas no País e afirmou que a presença dos produtores rurais na conferência mundial ajuda a popularizar a discussão.

"Alguns ambientalistas colocaram um Muro de Berlim entre as pessoas e a floresta. Nós estamos aqui derrubando este muro e aproximando as pessoas das florestas e dos biomas. Pela primeira vez, estamos aqui (na conferência mundial), pois há 20 anos nem sequer visitamos a Eco-92", afirmou a líder da bancada ruralista no Senado.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), ela reafirmou a intenção da entidade de lançar o índice global de desenvolvimento sustentável e de um fundo para a difusão de tecnologias para produtores rurais. "Planejamos lançar o índice posteriormente à Rio+20. Queremos que, a exemplo do IDH, sejam avaliados componentes ambientais e sociais", afirmou Kátia Abreu, que evitou falar em uma agenda específica. "Estamos participando da conferência, mas as decisões são tomadas pelos chefes de Estado. São eles quem implementam esse calendário."

Leia mais:

Imagem de destaque
Em campanha

Biden está com Covid, diz Casa Branca; presidente dos EUA tem sintomas leves

Imagem de destaque
Oi?

Se o cara é corintiano, tudo bem, diz Lula sobre violência contra mulheres após jogos

Imagem de destaque
Veja as seis praças

Prefeito de Cambé sanciona lei que proíbe consumo de bebidas alcoólicas em praças públicas

Imagem de destaque
Tentativa de homicídio

Lula diz que violência é abominável, mas Trump vai tentar tirar proveito de atentado


A senadora voltou a defender também a criação de áreas de preservação permanente (APPs) mundiais. Segundo ela, no entanto, o Fundo de Desenvolvimento Sustentável de US$ 30 bilhões para fomentar a economia verde, que ficou de fora do rascunho do documento final da Rio+20, seria insuficiente.

"O desenvolvimento sustentável tem custos muito altos e precisamos colocar uma coisa mais ampla do que apenas plantar árvores. E não adianta fazermos apenas no nosso País, se isso não for adotado no exterior. As normas brasileiras são rígidas e precisam ser testadas fora", afirmou a senadora.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade