Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Dois de Apucarana

Morador de Londrina é um dos liberados por Moraes após atos antidemocráticos

- Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Lucas Marcondes - Grupo Folha de Londrina com Constança Rezende - Folhapress
13 mar 2023 às 20:24
Publicidade
Publicidade

Um morador de Londrina e outros dois de Apucarana detidos no começo de janeiro no acampamento de apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) organizado em frente ao Quartel-General do Exército, em Brasília, acabaram soltos da prisão nesta segunda-feira (13). A decisão é do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).


O trio faz parte de um novo grupo, dessa vez composto por 130 homens, a quem foi concedida liberdade provisória. Eles foram denunciados após os ataques antidemocráticos de 8 de janeiro contra as sedes dos Três Poderes da República, na capital federal. Moraes havia libertado outros 80 presos na última sexta-feira (10), e, na quarta-feira (8), Dia Internacional da Mulher, 149 mulheres.

Publicidade


O advogado dos três suspeitos, Luiz Fernando Vilasboas, não revelou os nomes dos clientes, mas, segundo ele, as idades variam de 31 a 45 anos. “A previsão é que seja feita a comunicação ao presídio ainda hoje [segunda-feira] para que se organizem com os procedimentos de soltura”, informou Vilasboas à FOLHA. O defensor representa outros sete londrinenses: dois continuam presos e cinco foram liberados.

Leia mais:

Imagem de destaque
"Não precisamos de recursos"

Bolsonaro dispensa vaquinha para ato e desautoriza pedir dinheiro em seu nome

Imagem de destaque
Mortes suspeitas

Relembre mortes misteriosas na Rússia desde início da Guerra da Ucrânia

Imagem de destaque
Acusação de nepotismo

Denúncia contra Mara Boca Aberta vai seguir para o plenário da Câmara de Londrina

Imagem de destaque
Veja os detalhes

Polícia do DF indicia Jair Renan Bolsonaro por suspeita de fraude em empréstimo


Os norte-paranaenses terão de cumprir uma série de restrições exigidos pela Justiça, já que, com parecer favorável da Procuradoria-Geral da República (PGR), pesam contra eles medidas cautelares em razão de delitos como incitação ao crime e associação criminosa. CONTINUE LENDO NA FOLHA:

Imagem
Londrinense é um dos liberados por Moraes após atos antidemocráticos
Investigados têm entre 31 e 45 anos; eles terão de cumprir medidas judiciais como o uso de tornozeleira eletrônica
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade