Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Acordo que encerrou greve

Paraná: Governo adia envio de projeto que reestrutura cargos de docentes

José Marcos Lopes - Especial para a Folha
14 nov 2023 às 12:52
- José Fernando Ogura/AEN
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O governo do Paraná adiou o envio do projeto de lei que reestrutura o plano de cargos e carreiras dos professores de universidades estaduais. Na semana passada, representantes do governo e dos docentes da UEL (Universidade Estadual de Londrina) e da UEM (Universidade Estadual da Maringá) chegaram a um acordo para encerrar a greve deflagrada no dia 30 de outubro. O projeto começaria a tramitar nesta segunda-feira (13) na Assembleia Legislativa do Paraná (AL), mas o líder da base governista, Hussein Bakri (PSD), disse que a equipe do governo ainda está estudando o tema.


O governo chegou a anunciar o início da tramitação do projeto no começo do mês, mas, segundo Bakri, a expectativa é que a proposta seja enviada à AL até o fim do ano legislativo. A Casa deverá entrar em recesso de fim de ano a partir do dia 18 de dezembro. “A Casa Civil está preparando o envio de alguns projetos. Temos praticamente um mês de sessões, mas são projetos importantes, que tratam de diversas carreiras do estado. O governo está finalizando os estudos”, disse Hussein Bakri.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Em maio, as oito universidades estaduais entraram em greve para reivindicar o envio do plano à Assembleia. Além da UEL e da UEM, Unicentro (Universidade do Centro-Oeste), Unespar (Universidade Estadual do Paraná), Unioeste (Universidade Estadual do Oeste do Paraná), Uenp (Universidade do Norte do Paraná) e UEPG (Universidade de Ponta Grossa) tiveram as atividades paralisadas até o início de junho.

Leia mais:

Imagem de destaque
'não é um político tradicional'

Haddad afirma que fala de Lula sobre Gaza foi grito de socorro

Imagem de destaque
Manifestação na Av. Paulista

Bolsonaro pode ser preso se incitar crime durante ato no domingo na avenida Paulista

Imagem de destaque
Tentativa de golpe

Bolsonaro tem novas derrotas no STF ao tentar afastar Moraes de inquérito e ser dispensado de ir à PF

Imagem de destaque
Propaganda irregular

TSE multa Carla Zambelli em R$ 30 mil por fake contra Lula na eleição


“Ainda estamos aguardando. Essa semana é peculiar porque tem o feriado”, disse nesta segunda César Bessa, presidente do Sindiprol/Aduel, sindicato que representa a categoria. Para ele, há tempo de o projeto ser aprovado ainda neste ano pelos deputados caso seja enviado nos próximos dias (a ideia é que os novos valores comecem a ser pagos em janeiro de 2024). “Seria meio prematuro avaliar (o atraso), pode ter surgido uma questão burocrática. Mas o projeto pode tramitar em regime de urgência, pode ser aprovado em até três dias”, afirmou Bessa.

Publicidade


IMPASSE


Em maio, o sindicato contestou a proposta de reajuste de 5,79%, alegando uma defasagem de 42% nos salários. O percentual foi aplicado em agosto e os professores pressionaram pelo envio do plano de cargos, que seria uma forma de compensação pela perda salarial. No início de novembro, o governo anunciou que os professores com especialização passaram a receber um adicional de titulação de 30%, os mestres de 60% e os doutores de 105% (hoje os percentuais são de 25%, 50% e 80%, respectivamente).


CONTINUE LENDO NA FOLHA DE LONDRINA.


Imagem
Governo adia envio de projeto que reestrutura cargos de docentes
Gestão de Ratinho Jr. alega necessidade de finalizar os estudos antes de remeter a proposta à AL; votação pode ocorrer no fim do ano
Imagem
Concurso nacional unificado ganha site e terá banca escolhida ainda neste mês
As informações sobre o concurso nacional unificado do governo federal -o Enem dos concursos públicos- passam a ser divulgadas em um novo espaço
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade