Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Evite a automedicação

Veja os medicamentos permitidos e proibidos durante a amamentação

Redação Bonde
22 jan 2015 às 10:58
Continua depois da publicidade

Durante nove meses você sonha com a chegada do bebê e imagina como serão intensos os momentos de intimidade e cumplicidade proporcionados pela amamentação. Mas, além da realização maternal, o ato de amamentar requer também alguns cuidados relacionados à alimentação, hidratação e ingestão de medicamentos.

É muito comum que as mamães precisem tomar algum remédio durante o período de amamentação, principalmente logo após o parto. E, como ninguém é de ferro, se você fizer questão de amamentar seu pequeno por pelo menos dois anos, vai ser quase impossível se abster completamente de medicamentos por um tempo tão prolongado.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Isso não significa que você não poderá tomar sequer um analgésico sem afetar a saúde do seu bebê. Segundo o manual técnico "Amamentação e uso de drogas", a maioria dos medicamentos é compatível com a amamentação, poucos são os formalmente contraindicados e alguns requerem cautela ao serem prescritos, devido aos riscos de efeitos adversos nos lactentes ou na lactação.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


O manual foi desenvolvido pelo Ministério da Saúde, em parceria com a Sociedade Brasileira de Pediatria e a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) - e tem como objetivo auxiliar os profissionais de saúde nas suas avaliações quanto ao uso de drogas durante a amamentação.


O leite materno é fundamental para a saúde da criança pela sua disponibilidade de nutrientes
e oferecer imunidade ao bebê. Além disso, amamentação favorece a relação afetiva mãe-filho; influencia o desenvolvimento da criança, do ponto de vista cognitivo e psicomotor; promove o espaçamento das gestações e diminui a incidência de algumas doenças na mulher.


Apesar de todas as vantagens, existem ocasiões em que o profissional de saúde
deve considerar o risco/benefício do uso de medicamentos pela mãe que amamenta.

Continua depois da publicidade


A recomendação para interromper a amamentação durante o tratamento medicamentoso
da mãe é muito comum, apesar de, na maioria das vezes, ser possível conciliar
o tratamento e o aleitamento materno. Isso é possível porque a mama possui uma estrutura (o epitélio alveolar mamário) que funciona como uma barreira quase impermeável. Dessa forma, a maioria das drogas passa para o leite materno, mas em quantidades muito pequenas; e mesmo
quando presentes no leite, podem ou não ser absorvidas no trato gastrointestinal do bebê. Só excepcionalmente, quando a doença materna requer tratamento com medicações incompatíveis com a amamentação, esta deve ser interrompida.


Ainda que seja responsabilidade dos profissionais de saúde tomarem qualquer decisão sobre que medicamentos as mamães podem ou não tomar durante a amamentação, você também pode ficar de olho no que eles estão receitando e também evitar - ao máximo - a automedicação.


No link abaixo você encontra uma lista com os remédios proibidos ou liberados durante a amamentação, em denominação genérica/química (entre parênteses, nomes comerciais). Vale ressaltar que o mais indicado é sempre consultar o obstetra ou pediatra antes de tomar qualquer medicamento, mesmo aqueles que estão liberados.

Manual Técnico sobre Amamentação e Uso de Drogas


Continue lendo