14/05/21
PUBLICIDADE
Em poucos meses

OMS avalia que pandemia poderia ser controlada se houvesse disposição de governos

João Viana/ Semcom
João Viana/ Semcom


A Organização Mundial da Saúde (OMS) vê com preocupação a retomada no crescimento de casos e de óbitos na última semana em todo o mundo e enfatiza a importância de medidas sanitárias para conter a circulação do vírus, como uso de máscaras e distanciamento social.


De acordo com a diretoria-geral da organização, o mundo viu uma redução no número de casos por seis semanas consecutivas entre janeiro e fevereiro, mas, agora, já vê um aumento nas sete semanas consecutivas de novos casos confirmados e de óbitos nas últimas quatro semanas.

Na última semana, a OMS reportou o quarto maior número de casos em uma semana desde o início da pandemia: foram 4,4 milhões de infecções, com um aumento de 9% no número de casos em comparação com a semana anterior.

Em entrevista para os jornalistas na manhã desta segunda-feira (12), o diretor-geral da organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus afirmou que a pandemia em todo o mundo poderia ser controlada em alguns meses, se houvesse empenho e disposição por parte dos governos e das pessoas em adotar as medidas comprovadamente eficazes para controlar a pandemia.

"Semana após semana vamos continuar dizendo: distanciamento social funciona, lavar as mãos funciona, usar máscaras funciona, vigilância epidemiológica, testagem, isolamento de confirmados, rastreamento de contatos, tudo isso funciona para impedir a cadeia de transmissão e salvar vidas."

"As evidências são claras, e muitos países em todo o mundo demonstraram que é possível controlar o vírus quando aplicadas medidas preventivas e junto a sistemas que respondem de maneira rápida e consistente", afirmou. "O que aumenta a transmissão e custa vidas é confusão, complacência e medidas de saúde públicas inconsistentes e sua aplicação."

Ghebreyesus afirmou ainda que muitos países com a pandemia fora do controle permitem a abertura de restaurantes, bares, casas noturnas e causam aglomeração. Além disso, há a falsa impressão disseminada pelos mais jovens de que são saudáveis e não vão ter grandes problemas se contraírem a Covid-19. "Isso não é verdade. Pessoas jovens e saudáveis contraíram a doença e morreram, e ainda não temos total compreensão dos efeitos dos sintomas persistentes pós-Covid", disse.

A OMS enfatizou a importância da vacinação e como a distribuição de vacinas de forma igualitária é fundamental para acelerar a imunização em países na África e no Oriente Médio, mas que só a vacina não vai funcionar.

"As vacinas estão chegando, mas elas não estão ainda aqui [em quantidades suficientes]. Nós precisamos enfatizar a importância das medidas sanitárias, e os governos precisam dar apoio consistente às populações para elas cumprirem as medidas. Não é vacinas apenas, é vacinas com medidas restritivas", afirmou Maria van Kerkhove, líder técnica para Covid-19 da entidade.

Em relação às vacinas, Bruce Aylward, conselheiro sênior da direção-geral da OMS, disse que o órgão estuda no momento duas vacinas chinesas para a avaliar a autorização para uso emergencial, a da Sinopharm e da Sinovac.

"Nós tivemos uma equipe visitando as instalações das duas fábricas entre janeiro e fevereiro, bem como o processo de manufatura das vacinas, e agora estamos avaliando a documentação técnica relacionada a essas vacinas. Esperamos até o final de abril ter a avaliação do comitê técnico consultor sobre uma das vacinas para uso emergencial e na sequência a outra vacina".

Aylward, no entanto, não afirmou qual das duas vacinas estaria em estágio mais avançado de análise.

A entidade ainda comentou sobre os dados divulgados recentemente do ensaio clínico de fase 3 da vacina da Sinovac, realizado no Brasil. Segundo Katherine O'Brien, os resultados são promissores, pois a eficácia aumenta conforme o quadro mais agravado da doença.

"É a eficácia das vacinas contra as formas mais graves da doença que é mais crítico para nós avaliarmos. Por isso é preciso precaução ao comparar eficácias entre vacinas, uma vez que quanto à proteção contra casos graves, todas as vacinas cumprem o seu papel em reduzir o máximo possível internações e mortes por Covid-19."
Folhapress
PUBLICIDADE
Continue lendo
Poderosa

Aprenda a fazer a make usada pela Anitta no videoclipe "Girl From Rio”

14 MAI 2021 às 17h44
Magreza não é igual saúde

Obesidade metabólica: o que você precisa saber para evitar o quadro

14 MAI 2021 às 16h46
642 mortes

Número de óbitos de grávidas em 2021 já ultrapassa todo ano de 2020

14 MAI 2021 às 16h37
Celebrada em 14 de maio

Conheça a história de Santa Corona, protetora contra epidemias

14 MAI 2021 às 15h41
Cuidados com a pele

Acne provocada pelo uso de máscara contra Covid turbina venda de produto de pele

14 MAI 2021 às 15h37
Cuidados com a pele

Acne provocada pelo uso de máscara contra Covid turbina venda de produto de pele

14 MAI 2021 às 15h37
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados