Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Fundo de Financiamento Estudantil

MEC prorroga prazo para renovação de contratos do Fies

Agência Brasil
05 nov 2021 às 11:38
- Pixabay
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O Ministério da Educação publicou no Diário Oficial da União desta sexta-feira (5) portaria que prorroga, para 31 de dezembro, o prazo para a renovação semestral dos contratos de financiamentos concedidos pelo Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), simplificados e não simplificados, do 1º e 2º semestres de 2021.


Os aditamentos de renovação semestral devem ser feitos por meio do SisFIES (Sistema Informatizado do Fies), disponível na página eletrônica do Ministério da Educação. 

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


A prorrogação do prazo tem por objetivo garantir que todos os estudantes possam realizar os aditamentos neste período de pandemia de covid-19.

Leia mais:

Imagem de destaque
Oportunidade

UEM faz concurso com 82 vagas para docentes efetivos; salários até R$ 16,5 mil

Imagem de destaque
Observação da Lua

Gedal promove evento gratuito de astronomia neste sábado em Londrina

Imagem de destaque
Mínimo 180 dias

Nova lei concede licença a estudantes de ensino superior que se tornem pais

Imagem de destaque
46 mil alunos

Aulas na rede municipal retomam nesta terça em Londrina


No caso de aditamento não simplificado, quando há alteração nas cláusulas do contrato, como mudança de fiador por exemplo, o estudante precisa levar a documentação comprobatória ao banco para finalizar a renovação. Já nos aditamentos simplificados, a renovação é formalizada a partir da validação do estudante no sistema.

Publicidade


Os contratos do Fies devem ser renovados semestralmente. O pedido de aditamento é feito inicialmente pelas instituições de ensino e, em seguida, os estudantes devem validar as informações inseridas pelas faculdades no SisFies.


O Fies é o programa do governo federal que tem como meta facilitar o acesso ao crédito para financiamento de cursos de ensino superior oferecidos por instituições privadas.


Criado em 1999, ele é ofertado em duas modalidades desde 2018, por meio do Fies e do P-Fies (Programa de Financiamento Estudantil). O primeiro é operado pelo governo federal, sem incidência de juros, para estudantes que têm renda familiar de até três salários mínimos por pessoa. O percentual máximo do valor do curso financiado é definido de acordo com a renda familiar e os encargos educacionais cobrados pelas instituições de ensino.


O P-Fies funciona com recursos dos fundos constitucionais e dos bancos privados participantes, o que implica cobrança de juros.

Publicidade

Últimas notícias

Publicidade