Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Entenda

Cotas: Sisu vai aplicar novas regras a partir da próxima edição

Sabrina Craide - Agência Brasil
13 nov 2023 às 18:19
- REprodução/UnB
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A próxima edição do Sisu (sistema de Seleção Unificada), que será em janeiro de 2024, vai ser atualizada com as mudanças na Lei de Cotas, que foram sancionadas nesta segunda-feira (13) pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). 


O Sisu é um sistema eletrônico que reúne as vagas oferecidas por instituições públicas de ensino superior, a maioria em universidades e institutos federais. O sistema executa a seleção dos estudantes com base na nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


De acordo com o Ministério da Educação, com as alterações, todos os candidatos inscritos no Sisu serão classificados primeiramente para as vagas ofertadas na modalidade de ampla concorrência, independentemente de atenderem aos critérios exigidos para os cotistas. Posteriormente, serão observadas as reservas de vagas para cotas.

Leia mais:

Imagem de destaque
Prova em maio

Vestibular 2024.2 da UTFPR oferta 4.219 vagas em 106 cursos; inscrições começam em 26 de fevereiro

Imagem de destaque
Confira!

Concurso da prefeitura de Londrina divulga cargos e banca organizadora

Imagem de destaque
Confira

Estudo mostra que Viagra pode estar associado à redução de casos de Alzheimer

Imagem de destaque
Aprovados

Instituições publicam resultado da lista de espera do Sisu


No mecanismo anterior, o cotista concorria somente às vagas destinadas às cotas, mesmo que ele tivesse pontuação suficiente na ampla concorrência. “Dessa forma, os esforços de todos aqueles que alcançam notas altas são valorizados, sem distinção”, aponta o MEC, em nota. 


A Lei de Cotas ainda reduziu o valor definido para o teto da renda familiar dos estudantes que buscam cota para ingresso no ensino superior por meio do perfil socioeconômico. Antes, o valor exigido era de um salário mínimo e meio, em média, por pessoa da família. Com a nova legislação, esse valor passa a ser de um salário mínimo, atualmente em R$ 1.320. 


Outras mudanças são: a inclusão dos estudantes quilombolas como beneficiários das cotas, nos moldes do que atualmente já ocorre para pretos, pardos, indígenas e PcDs (pessoas com deficiência); o estabelecimento de prioridade para os cotistas no recebimento do auxílio estudantil; e a extensão das políticas afirmativas para a pós-graduação.


Imagem
Provas do Enem têm cobrado menos conteúdo e mais interpretação, dizem professores
Mais de 2,6 milhões de estudantes enfrentaram, neste domingo (12), 90 questões de ciências da natureza e de matemática no segundo dia de provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) de 2023.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade