Pesquisar

Canais

Serviços

Divulgação
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Vai ao ar na próxima semana!

Série veiculada na Rádio UEL FM fala sobre mulher, direitos e políticas públicas

Redação Bonde com N.Com
10 nov 2021 às 14:39
Continua depois da publicidade

Para falar sobre os direitos das mulheres, as políticas públicas e os serviços existentes em Londrina para esse público-alvo, os alunos de Publicidade e Propaganda da Universidade Pitágoras/Unopar fizeram uma série de rádio, chamada de Mulheres em Movimento. A primeira temporada vai ao ar na próxima terça-feira (16), durante o programa Revista do Meio-Dia, pela rádio UEL FM (107.9 MHz).

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Na série, os ouvintes vão conhecer as experiências de diversas mulheres que estão na liderança de movimentos sociais, nos serviços públicos, como o COM (Centro de Oficinas para Mulheres), Casa Abrigo e na Patrulha Maria da Penha, e em grupos institucionais, como a Comissão da Mulher Advogada OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) Londrina.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


A secretária de Políticas para as Mulheres de Londrina, Liange Doy Fernandes, explicou que sua pasta colaborou na divulgação do projeto junto às organizações, grupos e coletivos de mulheres, facilitando o acesso da equipe de pesquisadoras e pesquisadores às fontes de informação, para tornar acessível e possível a produção dos Podcasts.


Para Fernandes, é uma alegria ver projetos tão completos serem realizados no município. “Foi uma grande satisfação conhecer e contribuir com o Projeto Mulheres em Movimento. Londrina tem um histórico muito rico no campo dos direitos e das políticas públicas para a mulher. Sempre tivemos mulheres atuantes e o resultado dessa mobilização se reflete na construção sólida de políticas públicas e na estruturação dos serviços que estão disponíveis. Acredito que o projeto dará visibilidade a toda essa construção feita até hoje”, pontuou a secretária municipal.


Para tornar a ação mais dinâmica, os episódios da série foram divididos em três temas centrais, que são os movimentos sociais, as políticas públicas e as entidades da sociedade civil. Nessa primeira temporada vão participar as representantes dos movimentos sociais, como do Grupo Mulheres do Brasil, Mulheres na Roda de Samba, Somos Moara, Black Divas, Associação das Camponesas, Rede Feminista de Saúde, Nós do Poder Rosa, Movimento Construção, Mulheres Evangélicas pela Igualdade de Gênero e Frente Feminista de Londrina. A primeira temporada começa no dia 16 e encerra no dia 27 de novembro.

Continua depois da publicidade


Já a segunda temporada, que deve ir ao ar em março de 2022, os ouvintes conhecerão os trabalhos da SMPM (Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres) e do CMDM (Conselho Municipal de Direitos da Mulher). Na sequência, fechando o ciclo de entrevistas do próximo ano, estarão as integrantes dos movimentos institucionais, como a Ordem dos Advogados do Brasil, da Acil (Associação Comercial de Londrina) e do Núcleo Maria da Penha, da UEL (Universidade Estadual de Londrina).


Ao todo, serão veiculados 10 episódios, contendo sete minutos de duração, em cada temporada. Segundo a coordenadora do projeto de ensino e extensão Mídias Sonoras, Juliana Barbosa, a ideia da série surgiu durante uma pesquisa realizada pelos graduandos do 5º ao 7º período, de Propaganda e Publicidade, para a disciplina de Produção em Rádio.


“A ideia da disciplina é unir o conhecimento teórico com algo significativo para os alunos, que tenha relevância prática para eles e para a sociedade. O que fiz foi pensar um programa com relevância social, que pudesse ser veiculado na mídia. Então, abri para os alunos pensarem em um tema. Pesquisando, eles mesmos perceberam que houve um crescimento da violência doméstica durante a pandemia, mas eles também notaram que Londrina é referência nacional na luta pelos direitos da mulher. Assim, surgiu a temática da série”, contou a doutora em Estudos da Linguagem e responsável pela produção.


Todo processo de produção da série de rádio foi feito através da plataforma de ensino remoto da universidade, ou seja, à distância devido à pandemia. Os trabalhos tiveram início em março de 2021 e foram finalizados em setembro. Para ajudar os alunos, a jornalista da Rádio UEL FM, Patricia Zanin Heitzmann, ministrou uma oficina, em que mostrou os pontos que deveriam constar em um programa de radiojornalismo. 


A especialista em Comunicação Popular e Comunitária também abordou o processo de produção da notícia em rádio, como as técnicas de entrevista, de decupagem do material, de edição e a importância do slogan, de vinhetas e da escolha da música. Além dela, servidoras da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres também ajudaram o projeto, com as orientações referentes aos serviços, entidades e instituições que desenvolvem trabalhos e políticas públicas de combate à violência doméstica e de capacitação de mulheres.

Continue lendo