15/12/19
34º/21ºLONDRINA
Entenda o caso

Crivella manda recolher HQ com beijo gay exposta na Bienal do RJ

Na noite desta quinta-feira (5), o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, determinou a retirada da HQ 'Vingadores, a Cruzada das Crianças'. O motivo seria o beijo entre os personagens Wiccano e Hulkling, dois homens. Em comunicado no seu Twitter, Crivella disse que "livros assim precisam estar embalados em plástico preto, lacrados e, do lado de fora, avisando o conteúdo".




Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter


Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter


A Bienal Internacional do Livro publicou nota oficial sobre o caso dizendo que os exemplares não seriam recolhidos: "A Bienal Internacional do Livro Rio, consagrada como o maior evento literário do país, dá voz a todos os públicos, sem distinção, como uma democracia deve ser. Este é um festival plural, onde todos são bem-vindos e estão representados. Inclusive, no próximo fim de semana, a Bienal do Livro terá três painéis para debater a literatura Trans e LGBTQA+. A direção do festival entende que, caso um visitante adquira uma obra que não o agrade, ele tem todo o direito de solicitar a troca do produto, como prevê o Código de Defesa do Consumidor".

Fiscais da Secretaria Municipal de Ordem Pública estiveram no inicio da tarde desta sexta-feira (6) na Bienal do Rio, para checar de que forma o livro em quadrinhos 'Vingadores, a Cruzada das Crianças' estava sendo comercializado. Sob vaias de parte do público, os fiscais percorreram vários estandes, mas não encontraram nenhum exemplar do livro.

Menos de 40 minutos depois da abertura da bienal, o livro já estava esgotado nos 520 estandes.

De acordo com a presidente da Comissão de Direitos da Criança e do Adolescente da OAB, Suzana do Monte Moreira, a determinação do estatuto só se aplica a casos em que há imagens de nudez ou sexo explícito. No caso do livro da Marvel, há somente uma imagem de um beijo entre dois homens inteiramente vestidos dentro do livro, não na capa. A especialista lembra que o casamento (e a família homoafetiva) é reconhecido no País desde 2011 e que a homofobia é considerada crime - similar ao racismo.

O livro foi produzido por Allan Heinberg e Jim Cheng, e fala sobre a equipe Jovens Vingadores. A edição é de 2016.
Redação Bonde com Agência Estado
comentários
Continue lendo
'Deus me segurou'

Na televisão, padre Marcelo Rossi relembra queda e empurrão

Anúncios oficiais

Brasil estuda implementar sistema de alerta por TV digital

'Foi incrível'

Pabllo Vittar grava clipe com Thalia em Nova York

Veja mais e a capa do canal