13/04/21
Lembra Lennon

Obra vanguardista de Yoko Ono marca presença em exposição em São Paulo

Yoko Ono faz arte para questionar a própria arte - praticante do experimentalismo e do vanguardismo, associada à arte conceitual, performance, ela é movida pela inquietação. É o que se pode comprovar na exposição 'O Céu Ainda É Azul, Você Sabe...', que começa neste sábado, 1º, para o público, no Instituto Tomie Ohtake. Trata-se de uma grande retrospectiva, que abarca desde sua primeira obra instrução, Lighting Piece/Peça de Acender (1955) - "acenda um fósforo e assista até que se apague" -, passando pela sua produção artística dos anos 1960, 70, 80, até o presente.

Entre as obras da exposição, há uma série de filmes, dois dos quais tiveram a participação de John Lennon na concepção. Em Estupro (1969), o músico foi codiretor e, em Liberdade (1970), de apenas um minuto, assina a trilha sonora.


"Uma instrução de Yoko Ono não possui um corpo fixo: um lugar, uma matéria ou sequer uma língua original a que se tenha que remeter para estar junto da obra da artista", observa o curador do Instituto Tomie Ohtake, Paulo Miyada. "A obra aparece como um enunciado, um fragmento linguístico, mas não se encerra nele; pode estar em muitos outros lugares ao mesmo tempo."



"A exposição pretende revelar os elementos básicos que definem a vasta e diversa carreira artística de Ono - uma viagem através da noção de arte em si, com um forte envolvimento social e político", diz o curador Gunnar B. Kvaran. Yoko respondeu por e-mail.

Como vê a mudança da arte feminista desde que começou a produzir arte, e o que acha que ainda falta às mulheres artistas?

Temos de fazer coisas incrivelmente excitantes, além dos limites da "mulher artista" e da arte "feminista".

Alguns de seus trabalhos são mensagens muito simples e diretas; outros são muito mais complexos e misteriosos. Para você a arte visual, neste ponto, presta-se mais a mensagens simples ou a complicadas?

Não acho que um trabalho seja mais simples que outro. Mesmo que a obra consista de uma só palavra, cada palavra em si é muito complexa.

Você e John eram músicos e artistas visuais. Como artista, o que aprendeu com John, e o que ele aprendeu com você?

Acho que nós dois éramos tão independentes que não chegamos a aprender muito um com o outro. O que foi ótimo.

Você esteve no epicentro de alguns dos momentos mais transformadores e culturalmente dinâmicos do século passado. Como vê o que está acontecendo agora? Progresso ou retrocesso?

Não retrocedemos, com certeza. Seguimos avançando, avançando, avançando.
Agência Estado
Continue lendo
Padma Patil

Atriz de Harry Porter anuncia que está grávida e recebe cumprimentos de colegas

12 ABR 2021 às 18h00
Saiba mais

Família vê timidez de Thaís como estratégia de jogo

12 ABR 2021 às 17h35
Reunião de condomínio

Tiago Leifert menciona formação de novos pódios para o Jogo da Discórdia do BBB 21

12 ABR 2021 às 17h05
Sucesso de 2004

Globoplay estreia 'Cabocla': relembre quem é quem na novela

12 ABR 2021 às 16h00
Já pensou?

Tênis de Kanye West vai a leilão e pode chegar a R$ 5,6 milhões, diz Sotheby's

12 ABR 2021 às 15h42
Já assistiu?

Susan Sarandon e Kate Winslet brilham em drama sobre eutanásia

12 ABR 2021 às 15h10
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados