Pesquisar

Canais

Serviços

- Pixabay
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
HISTÓRIA

Partituras originais de hinos brasileiros deixam Rio de Janeiro pela primeira vez

Redação Bonde com Agência Brasil
20 abr 2022 às 10:09
Continua depois da publicidade

As partituras originais dos quatro mais importantes hinos brasileiros - da Independência, Nacional, da Bandeira e da Proclamação da República - além de composições históricas, como o Hino da Feliz Aclamação de D. João VI e a Estrela do Brasil, e outros documentos que integram o processo de construção destas partituras, vão ser expostos ao público, juntos, de forma inédita.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Arquivados na Biblioteca da Escola de Música da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), no Rio de Janeiro, os manuscritos originais deixaram na última segubda-feira (19) pela primeira vez o edifício centenário da Rua do Passeio, no centro.

Continua depois da publicidade


Os documentos foram levados sob escolta da Polícia Militar de Minas Gerais até Belo Horizonte. Na capital mineira, serão encaminhados ao Arquivo Público do Estado e depois ao Palácio da Liberdade, onde ficarão expostos ao público a partir do dia 26, data de abertura da exposição 

Já Raiou a Liberdade: Hinos do Brasil

.

A iniciativa abre as comemorações do Bicentenário da Independência do Brasil na semana da Inconfidência Mineira e é organizada pela Secretaria Estadual de Cultura e Turismo de Minas Gerais. Integra também a parceria o programa Arte de Toda Gente, a Funarte (Fundação Nacional de Artes) e a UFRJ, com curadoria da Escola de Música.

Continua depois da publicidade


Segundo o vice-diretor da Escola de Música da UFRJ e coordenador geral do programa Arte de Toda Gente, Marcelo Jardim, após a exposição no Palácio da Liberdade, os originais dos hinos brasileiros serão restaurados. “É preservar o que é mais importante, que é a nossa história, a nossa formação enquanto nação. Ter o restauro de um documento tão importante resguarda que a posteridade possa conhecê-lo e mantém a nossa história viva”, disse o maestro.

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade