Pesquisar

Canais

Serviços

Vôlei de praia

Alison e Bruno Schmidt estreiam com vitória importante sobre canadenses

Redação Bonde
06 ago 2016 às 15:42
- Divulgação/FIVB
Publicidade
Publicidade

O Brasil largou com vitória no vôlei de praia dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro (RJ). Alison e Bruno Schmidt superaram os canadenses Binstock e Schachter por 2 sets a 0 (21/19, 22/20), em 47 minutos de partida, na manhã deste sábado (06.08), na Arena de Vôlei de Praia, em Copacabana. Eles voltam a quadra na próxima segunda-feira (08.08), contra os austríacos Doppler e Horst, pela segunda rodada do grupo A.

Foi o quinto confronto contra a dupla canadense e a quinta vitória dos brasileiros, que nunca perderam um set no duelo. A partida foi equilibrada, mas o apoio da torcida foi fundamental em momentos decisivos do jogo, como quando o time do Canadá teve a chance de fechar o segundo set. O resultado deixa Alison e Bruno empatados com os italianos Carambula/Ranghieri, que também venceram na estreia da chave.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


O jogo

Leia mais:

Imagem de destaque

Morre Wilsinho Fittipaldi, ícone do automobilismo brasileiro, aos 80 anos

Imagem de destaque
No Autódromo Ayrton Senna

Campeonato Paranaense Race Challenge 2024 começa nesta sexta em Londrina

Imagem de destaque
De 3 a 7 de abril

Londrina Futsal Feminino irá disputar a Supercopa de Futsal

Imagem de destaque
Será?

Prost fala sobre Senna e diz que era subestimado: 'Em corridas, eu era mais rápido'


O Brasil começou bem na partida, com Alison virando a maioria das bolas que recebia. Em dois erros de ataque dos canadenses, os brasileiros abriram quatro pontos de vantagem, anotando 9 a 5 no placar. Binstock e Schachter chegaram a reduzir a diferença para um ponto, mas a tranquilidade dos campeões mundiais prevaleceu. Em dois erros seguidos dos canadenses, a vantagem voltou para quatro pontos, em 17 a 13, forçando pedido de tempo dos adversários.

Publicidade


Dois bons saques de Schachter chegaram a ameaçar, mas Bruno Schmidt, com linda largada, deixou a vitória no primeiro set mais próxima. O brasiliense passou a ser mais ‘caçado’ no saque, mas respondeu com ótimos ataques. Os canadenses salvaram dois set points e ameaçaram dificultar, mas em outra bela largada de Bruno, o time do Brasil fechou em 21 a 19 na primeira parcial da estreia.


O segundo set começou mais equilibrado, com os times arriscando e errando um pouco mais. Os canadenses foram punidos duas vezes com dois toques, e o Brasil abriu dois pontos de vantagem, anotando 7 a 5. Em bom bloqueio de Schachter, o Canadá tentou ganhar moral, mas Alison respondeu logo na sequência com um foguete, anotando 13 a 10. Logo em seguida, ace do ‘Mamute’, deixando a vantagem ainda maior.

Publicidade


Binstock anotou dois pontos seguidos sobre Alison no bloqueio, reduzindo a diferença para um ponto e forçando pedido de tempo do Brasil. Os campeões mundiais melhoraram, mas o Canadá voltou a empatar, após bloqueio em Alison, marcando 17 a 17. O jogo ficou tenso e o Canadá assumiu a liderança, anotando 20 a 19. Bruno Schmidt salvou o set point.


Em uma disputa de bola na rede, o árbitro anotou toque de Binstock, deixando o Brasil na frente por um ponto. Logo na sequência, erro de recepção de Schachter em saque de Alison e vitória brasileira por 2 sets a 0, para delírio da torcida na Arena em Copacabana.

Publicidade


Apoio da torcida


Os brasileiros consideraram muito importante o apoio da torcida, que fez a festa nas arquibancadas. Alison disse que o público chegou a fazer diferença, principalmente no fim da partida.

Publicidade


"Estávamos atrás no segundo set, e esta torcida ficava nos empurrando. Todo mundo aqui se arrepiou quando esta galera toda começou a gritar Brasil. Eu tenho muito orgulho de representar minha pátria, vou buscar a bola onde tiver que buscar, vou acreditar sempre. Agora é pensar nos austríacos (Doppler e Horst), eles formam um time muito forte. Não estrearam bem, perderam por um placar elástico, mas são muito fortes", comentou Alison, a respeito da vitória de os italianos Ranghieri e Carambula por 2 a 0 (21/14 e 21/13) sobre Doppler e Horst.


Bruno Schmidt também ressaltou a participação da torcida logo na estreia olímpica.

"A torcida fez um espetáculo à parte, foi um terceiro jogador. Lidar com a torcida a favor é muito bom, como sempre acontece quando viemos a Copacabana. Foi uma estreia, e você precisa se acostumar à arena. Aqui, por exemplo, é importante se habituar ao vento", avaliou Bruno, a respeito da quadra olímpica.


Publicidade
Publicidade

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade