Pesquisar

Canais

Serviços

Fórmula 1

Pirelli define pneus médios e macios para GP da Hungria

AGÊNCIA ESTADO
21 jul 2014 às 17:05
Publicidade
Publicidade

A Pirelli anunciou nesta segunda-feira os tipos de pneus que irá disponibilizar para as equipes no GP da Alemanha de Fórmula 1, marcado para acontecer neste domingo, no circuito de Hungaroring, em Budapeste. A fornecedora única de compostos da categoria definiu os médios e macios, "combinação que deverá trazer o equilíbrio perfeito entre performance e resistência às altas temperaturas do local", destacou um comunicado oficial da empresa, ao justificar a escolha.

"A Hungria é bem conhecida por ter um traçado complicado, onde é difícil ultrapassar e encontrar um acerto perfeito para a volta inteira. Isso significa que a estratégia é muito importante, uma vez que ela oferece uma rara oportunidade de ganhar posições na pista. O clima sempre é um ponto de atenção na Hungria. Mas considerando o comportamento que os nossos pneus tiveram no calor de Hockenheim, estamos confiantes que isso não será um problema", disse Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Em seguida, o dirigente enfatizou que os pneus que estão sendo levados para o Hungria "são mais duros, já que essa pista exige mais dos compostos". "Ou seja, esperamos os habituais dois pit stops para a corrida - apesar de que só poderemos ter uma ideia mais clara sobre isso após os treinos livres de sexta-feira", completou.

Leia mais:

Imagem de destaque
Tinha câncer

Morre O.J. Simpson, ex-jogador de futebol americano, aos 76 anos

Imagem de destaque
Excelente campanha em 2023

Londrina Futsal estreia em casa neste sábado contra o Pato Branco na Liga Feminina 2024

Imagem de destaque
Será em novembro

GP do Brasil tem ingressos vips esgotados 7 meses antes da corrida

Imagem de destaque
Hipismo

Competidor de Curitiba vence a categoria principal das provas de salto na ExpoLondrina


A Pirelli ainda destacou que, embora o circuito de Hungaroring não seja particularmente exigente no que se refere aos pneus, o grande número de curvas fechadas em sequência faz com que os compostos não tenham muitas chances de resfriamento.

"É uma pista onde se corre com o máximo de pressão aerodinâmica, devido às curvas lentas e a baixa aceleração, embora também existam alguns locais onde é possível acelerar até o limite. Conseguir tracionar bem continua sendo o principal desafio técnico e os pneus traseiros exigem atenção especial; do contrário o carro perderá aderência e capacidade de frenagem", explicou o ex-piloto francês Jean Alesi, hoje consultor da Pirelli.


Publicidade
Publicidade

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade