Pesquisar

Canais

Serviços

Pixabay
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Tem bichinho em casa?

Dia Mundial dos Animais: como adaptar o lar para a vivência com pets

04 out 2021 às 14:45
Continua depois da publicidade

Dia 04 de outubro é comemorado o Dia Mundial dos Animais e sabemos da importância de ter a casa bem-preparada para receber um bichinho de estimação. Por isso, um time de arquitetos especialistas e apaixonados pelos pets reuniu diversas orientações para se ter uma casa bem adaptada para os filhos de quatro patas - seja visando o conforto, a praticidade no dia a dia, o estilo do décor e, claro, a segurança de todos.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Segurança e organização em primeiro lugar!

Continua depois da publicidade


Segundo Marina Salomão, arquiteta à frente do Studio Mac, reservar um espaço dedicado para a alimentação, descanso e necessidades dos animais de estimação é o primeiro passo ao pensar em uma casa adaptada. E vale até mesmo pensar em passagens adaptadas, como aberturas nas portas, para favorecer o acesso do bichinho. "Ter lugares definidos facilita a rotina do pet. Se o local eleito for a lavanderia, por exemplo, precisamos de um piso bom, que seja fácil de limpar", opina. 


Continua depois da publicidade

A arquiteta Marina Carvalho complementa: "é preciso ter uma área específica para eles onde esteja a caminha, comida, água e brinquedos, tudo sempre no mesmo lugar. Não podemos esquecer da saúde mental dos cachorros, então é passear bastante, fazê-los gastarem energia, porque quanto mais eles se movimentam, menos danos são contabilizados dentro de casa", diz.


Alguns cuidados com a segurança também são fundamentais: em casas com gatos, por exemplo, é imprescindível telar janelas e varandas. Piscinas e banheiras externas de hidromassagem igualmente merecem atenção e devem ser cercadas, impedindo o acesso dos pets sem a devida supervisão. "Em alguns casos, até mesmo as escadas podem ser um problema. Se os animais já possuem idade avançada, é possível pensar em um projeto adaptado, que conte com uma rampa de madeira revestida de borracha", opina Júlia Guadix, arquiteta do Liv'n Arquitetura. 


As rampas também podem ser usadas para ajudar no acesso à cama ou sofás. "Produtos de limpeza e medicamentos sempre devem estar guardados em locais fechados e fora do alcance dos peludos, e jardins devem sempre conter espécies não tóxicas para os animais", ressalta.


Pisos corretos


Primordial para garantir proteção, saúde e atender a todas as necessidades do pet, um bom revestimento para casas com animais de estimação deve ser escolhido, levando em conta questões como higiene, resistência e conforto para locomoção - um piso escorregadio pode agravar doenças de articulação, como a displasia. “Por isso, indicamos sempre os porcelanatos antiderrapantes, que asseguram uma locomoção segura e aderente para todos”, explica Christie Schulka, Marketing Manager da Incepa. A questão higiene também coopera na prevenção de problemas com parasitas como pulgas e carrapatos. 


Cuidado com as paredes


Não é só o piso que merece atenção - a arquiteta Marina Salomão afirma que as paredes também devem ser adaptadas, especialmente porque os pets têm como hábito esfregar os corpos nelas. Portanto, em locais com pinturas, o ideal dar preferência por tintas acrílicas laváveis, que facilitam a limpeza cotidiana. "Uma outra dica bacana é aplicar duas cores na parede, com a o tom inferior mais escuro para não ficar a marca das patinhas", indica a profissional.


Tecidos e mobiliários


Para a arquiteta Marina Carvalho, um dos pontos principais em uma casa pet friendly são os tecidos. "Como alguns sobem no sofá, o móvel ele pede por tecidos resistentes, como suede, ultrasuede ou couro", diz. A arquiteta Ieda Korman complementa: "os tapetes precisam ser bem escolhidos, de preferência com tecido sintético ou sisal, que resultam em uma manutenção descomplicada", afirma. 


Para bichinhos que costumam arranhar o mobiliário com as unhas, a dica é preferir sempre tramas fechadas e dispor mantas de couro nos braços do sofá. "E, para aqueles pets que soltam muito pelo, o ideal é fugir de tecidos escuros e que não evidenciem tanto a sujeira, afirma Marina Carvalho. No tocante às cortinas, os profissionais advertem que materiais como linho ou voil podem desfiar com facilidade. "Pensando em praticidade, persianas rolo são as mais indicadas", diz Júlia Guadix.


Agora, quando o assunto é mobiliário, é essencial levar em conta que os animais podem correr pela casa e, sem querer, bater nas peças. "Aconselho sempre o uso de estantes fechadas e, para casas com gato, um cuidado maior com os itens que estão em prateleiras", afirma a arquiteta Cristiane Schiavoni.


Cantinho da diversão


Mais do que adaptada para um animais de estimação, a casa de uma família com pet deve ser divertida! Por isso, os profissionais relembram a importância de criar cantinhos especiais para os animais, estimulando seus sentidos. "Hoje o mercado pet está enorme! E, com isso, temos mais possibilidades para o décor da casa. É possível instalar marcenaria na lavanderia, no quarto ou sala. Conseguimos até criar a casinha do pet embutida em algum lugar", afirma Cristiane Schiavoni. 


Para casa com gatos, as prateleiras se revelam um verdadeiro parque de diversões. Da mesma forma, são indicadas rampas para subir e descer de camas e sofás, sem contar que os tapetes colaboram na movimentação mais segura.

Continue lendo