Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Profissionais explicam

Lambeijo: beijo de pet faz mal para a saúde da boca?

Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
31 mar 2024 às 16:30
- Hhumphrey Muleba/Pexels
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Profissional de odontologia e veterinária explicam os riscos e benefícios do carinho


O Brasil é o terceiro país no planeta em número de animais domésticos, com 150 milhões de pets, segundo dados do IPB (Instituto Pet Brasil). Assim, as relações entre humanos e os fiéis companheiros estão cada vez mais próximas, e atos como beijar os amigos peludos se tornam frequentes para a demonstração de amor e afeto. Mas será que esse contato é seguro?

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


O contato físico – incluindo beijos na boca, os famosos lambeijos – pode fortalecer o vínculo emocional entre tutores e animais de estimação, tendo sido associado à redução do estresse e à promoção do bem-estar emocional. Conforme um levantamento desenvolvido por pesquisadores da Universidade Azabu, no Japão, a liberação de hormônios como a ocitocina nesses momentos de proximidade com os pets pode afetar positivamente a saúde mental dos tutores, contribuindo para uma sensação de calma e felicidade.

Leia mais:

Imagem de destaque
Nesta sexta

Londrina terá ação educativa com crianças para combater a violência contra animais

Imagem de destaque
Nova pesquisa

Amantes de pets, londrinenses gastam, em média, R$193,30 mensais com cãozinho

Imagem de destaque
ExpoPet

ExpoLondrina permite entrada de animais domésticos pela primeira vez

Imagem de destaque
5 de abril

Dia do filho: saiba por que os pets estão sendo considerados membros da família


Embora seja considerada uma prática positiva pelos pais de pets e pela psicologia, especialistas alertam sobre os possíveis riscos à saúde humana associados aos lambeijos.

Publicidade


Segundo a veterinária da Pet de Todos, Ketlin Costa Moreira, beijar o animal de estimação pode acarretar em consequências à saúde, principalmente se o pet tiver cálculo dentário, condição conhecida como tártaro. “Os bichinhos costumam ser alvo de coleções bacterianas, então é interessante que as pessoas evitem beijar a boca deles, principalmente no caso de crianças, idosos e pessoas com a imunidade comprometida", alerta a profissional.

Publicidade


Por outro lado, a veterinária pontua que cuidar da saúde bucal dos pets pode ser uma alternativa para a redução de riscos de transmissão de doenças. "Se o seu animal estiver com a boca saudável, a probabilidade dele causar uma infecção ou alguma outra doença por meio do lambeijo é muito baixa. Por isso, é essencial manter a saúde bucal do animal em dia, por meio de escovação regular e visitas periódicas ao veterinário", orienta.


Saúde bucal do tutor é tão importante quanto a do pet 

Publicidade


O lambeijo traz riscos não apenas para o humano, mas para o próprio animal, já que, por meio da saliva, pode entrar em contato com bactérias e microrganismos presentes na boca do tutor. 


O dentista da rede AmorSaúde, Diego Cardoso, defende que ter uma boca saudável é essencial, já que previne infecções, anemias, doenças autoimunes e até diabetes. "A saúde bucal é importante em qualquer idade e para mantê-la em dia os cuidados são mais do que necessários, assim é possível evitar menos problemas no futuro, como cáries, mau hálito e doenças gengivais", explica o profissional.


Para manter a boca limpa e a saúde em dia, ele aconselha tomar medidas preventivas. "Faça escovações após as principais refeições, diminua a ingestão de açúcares e alimentos gordurosos, use sempre o fio dental, escove a língua, invista em uma escova de cerdas macias e use creme dental com flúor”, indica ele, que aconselha agendar uma consulta odontológica, no mínimo, duas vezes por ano.


Como o lambeijo pode ser uma demonstração de afeto, é importante fazê-lo de maneira consciente, considerando sempre a saúde bucal tanto do animal quanto do humano. Com cuidados adequados, é possível desfrutar dos benefícios emocionais do contato físico com os animais de estimação sem comprometer a saúde de ambos.


Imagem
30% dos gatos com mais de 15 anos apresentam quadro de doença renal crônica
De acordo com estudo publicado pelo Centro Médico de Minnesota, nos Estados Unidos, 10% dos cães e 30% dos gatos com mais de 15 anos possuem doença renal crônica.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade