Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Advogado explica

Pets podem ser enterrados em cemitérios humanos?

Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
09 jul 2024 às 18:17
- Csaba Gyulavári na Unsplash
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Após Apucarana aprovar o enterro de animais domésticos nos cemitérios junto com seus tutores, a Câmara de Vereadores de Londrina quer apresentar proposta semelhante. O assunto está em debate atualmente em várias cidades brasileiras.


O relacionamento entre seres humanos e pets está mudando a forma como tutores enxergam e tratam seus bichinhos de estimação. Considerados cada vez mais como membros da família, ainda há um limbo jurídico que gera dúvidas e muito o que se avançar na legislação. Um exemplo disso é a discussão sobre onde sepultar os pets. Sem um ordenamento legal específico, os municípios estão legislando sobre o tema, autorizando e definindo regras para o enterro dos animais em cemitérios humanos, públicos e privados. Afinal, os pets podem ser enterrados no mesmo cemitério de seus tutores?

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade

 

Leia mais:

Imagem de destaque
Queixa recorrente de tutores

Seu pet costuma comer fezes? Veterinário explica o fenômeno da coprofagia

Imagem de destaque
Descubra o Top 10

Pets Sem Raça Definida e cães das raças Shih Tzu e Poodle são os prediletos dos tutores brasileiros

Imagem de destaque
30 dias para conclusão

Comissão do governo vai definir regras para transporte aéreo de pets

Imagem de destaque
Após cair em uma armadilha

Onça-parda capturada por moradores de chácaras em Londrina é solta em área protegida

Além de Apucarana, essa possibilidade já é uma realidade em diversas cidades brasileiras, como Florianópolis (SC), Campinas (SP), Matão (SP), Poços de Caldas (MG) e Rio de Janeiro (RJ). “Os municípios estão aprovando e regulamentando essa prática, que se tornará normal num futuro próximo”, observa Renan de Quintal, sócio do escritório Batistute Advogados.

Publicidade


“Hoje em dia, muitos municípios já autorizam o enterro de animais de estimação em cemitérios humanos, nas urnas de seus tutores. Para isso, no entanto, é preciso apresentar uma série de documentações”, explica Renan. 

 

Publicidade

Entretanto, também há limitações estabelecidas por algumas dessas leis. Entre elas, a proibição do enterro no cemitério humano de pets que, de maneira suspeita ou comprovada, tenham morrido por alguma doença que seja transmissível a seres humanos. Outra limitação é o enterro de animais no quintal de casa, prática considerada como crime ambiental em alguns municípios. “Essa é uma discussão nova, com muitas dúvidas e diferentes propostas. Por isso, deve ser um assunto debatido e definido a partir da opinião de especialistas no tema”, sugere o advogado.


Certidão de óbito do animal

Publicidade


Na burocracia, está incluída a certidão de óbito assinada por um veterinário, assim como uma guia de liberação fornecida pelo órgão administrativo municipal, responsável pela gestão dos cemitérios. Há prefeituras que exigem a comprovação de que, de fato, o pet era o animal de estimação da família.

 

Segundo o especialista, há propostas legislativas no Senado Federal para ampliar o status jurídico dos pets para que sejam reconhecidos como seres vivos capazes de ter sentimentos e direitos.


LEIA TAMBÉM:


Imagem
Estádio do Café recebe a final do Campeonato Paranaense de Futebol Americano no fim do mês
O Estádio do Café recebe no dia 28 de julho, às 19h, a final do campeonato paranaense de Futebol Americano, a partida será entre Londrina Bristlebacks e Coritiba Crocodiles. A FPFA (Federação Paranaense de Futebol Americano) lançou também nesta semana,
Imagem
Região de Londrina concentra o maior número de mortes e casos de dengue no PR
Com 74.114 casos confirmados de dengue e 95 mortes, a RS (Regional de Saúde) de Londrina lidera no Paraná tanto em número de mortes, quanto em números de confirmações pela doença. Desde o início do período sazonal, em 30 de julho de 2023,
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade