Pesquisar

Canais

Serviços

O leite deve ser ingerido duas horas depois das refeições, pois o cálcio pode atrabalhar a absorção do ferro contido nos alimentos - Reprodução
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Consumo

Afinal, o leite é mocinho ou vilão?

Erica Shimamura - Folha da sexta
20 mar 2010 às 17:43
Continua depois da publicidade

Assim como ensina o ditado de que a saúde começa pela boca, a escolha dos alimentos que iremos pôr à mesa ao longo dos anos determina de forma significativa a qualidade de vida que teremos. Por essa razão, alguns alimentos considerados ''polêmicos'' despertam dúvidas toda vez que pesquisas científicas mostram resultados e recomendações opostas na hora indicar pelo seu consumo.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

E na esteira dos alimentos controversos está o leite de vaca, amplamente difundido na porção Ocidental do mundo, e gerador de discussões polêmicas não só entre os leigos como também na comunidade acadêmica e em clínicas especializadas.

Continua depois da publicidade


Para alguns nutricionistas, o consumo do leite de vaca está relacionado ao aparecimento de sintomas como diarréia, vômito e dores abdominais, assim como alergias tardias que vão desde problemas respiratórios como a rinite e a bronquite, até fadigas, enxaquecas e artrite reumatóide.


A explicação para o desencadeamento dessas alterações físicas, aponta a nutricionista Silvia Regina Serra, é simples. Segundo ela, o leite de vaca é um alimento altamente alergênico, pois o organismo humano é incapaz de digerir parte de seus componentes.


As pessoas com intolerância à lactose (açúcar presente no leite), que não produzem corretamente a lactase (enzima responsável pela digestão da lactose), apresentam os sintomas mais graves desde os primeiros contatos com o alimento. São as crianças que sofrem de diarréia e vômito logo após a ingestão do leite.

Continua depois da publicidade


Para o restante da população sobram as alergias tardias, cujos sintomas são mais amenos, porém persistentes. Nesses casos algumas proteínas do leite seriam as responsáveis por uma dezena de males que nos afetam. ''As moléculas dessas proteínas entram na corrente sanguínea inteiras, e são desta forma consideradas corpos estranhos no organismo, desencadeando reações alérgicas pelo organismo'', assinala. Rinite, gastrite, enxaqueca, dermatite, cólicas, ansiedade, fadiga, entre outros, encorpam a lista das doenças relacionadas ao consumo do leite.


Com relação a ser fonte de cálcio, Silvia explica que o leite de vaca e seus derivados contêm grande concentração do mineral, porém o organismo humano é capaz de absorver pouca quantidade do mesmo a cada copo de leite ingerido. Em um estudo comparativo, a nutricionista cita a couve como exemplo. Considerando que um copo de leite contém 300 miligramas de cálcio, o ser humano é capaz de absorver 96 miligramas do total, ou 32,1%. Já uma folha de couve contém 47 miligramas de cálcio, e o organismo absorverá 27,6 miligramas, ou seja, terá aproveitamento de 58,8%, segundo o Institute for Functional Medicine, citado pela especialista.


O alerta, reforça Silvia, é não se restringir ao leite e seus derivados como única fonte de cálcio para prevenir a osteoporose. Alimentos como brócolis, repolho, couve, espinafre, tofu (queijo de soja) e quinoa também são ricas fontes de cálcio.


Amantes do leite


Como o leite de vaca é um alimento que está arraigado na cultura do brasileiro, a nutricionista entende que sua retirada radical da dieta possa causar sofrimento. Por isso ela recomenda que para quem gosta de consumir leite, a dica é diminuir a quantidade aos poucos, e fazer um rodízio com seus derivados para não exagerar na dose semanal. ''O problema não é o consumo do leite, mas a sua ingestão em grande quantidade, e também em detrimento de outros alimentos. É preciso buscar o cálcio em outras fontes'', indica.


Mudança de hábito


Há cerca de três anos o auditor fiscal Jesus Luiz Brandão, de 66 anos, decidiu retirar o leite de sua rotina. Antes da mudança alimentar, tomava de quatro a cinco copos de leite por dia. ''Quando fiquei sabendo dos males que causava, parei. Conversei com alguns nutricionistas antes de me decidir pela mudança'', conta Brandão.


Hoje, ele raramente consome queijo ou iogurte. Seu café da manhã é composto por café preto (sem açúcar ou adoçante), pão de queijo, ovos e frutas. ''Estou me sentindo bem, tirei o leite da dieta sem nenhum sofrimento. Se faz mal, por que não parar?'', questiona.


Alimento completo


Para o nutricionista Vitor Almendro, a retirada do leite só pode ser recomendada com a realização de exames que comprovem a intolerância à lactose
Na linha dos que defendem o leite de vaca na dieta de homens e mulheres está o nutricionista Vitor Almendro. Para o especialista, o alimento é fonte importante de cálcio e proteínas, além de conter vitaminas, carboidratos e gorduras. ''É um alimento completo'', afirma.


Como seu trabalho de nutrição é voltado principalmente para quem frequenta as academias de ginástica e os atletas, o especialista ressalta que nesses casos é impossível retirar o leite da dieta, pois a contração muscular depende de boa quantidade de cálcio no organismo, o que coloca o leite e seus derivados como alimento importante na rotina alimentar de seus pacientes. ''Até mesmo a suplementação para quem pratica atividade física é feita de derivados do leite'', explica. Segundo o especialista, existem estudos indicando que o consumo do soro do leite, se ingerido antes e depois dos exercícios físicos, na quantidade certa, vai resultar em ganho de massa muscular mais rapidamente.


Os casos de intolerância, relata Almendro, são pouco comuns, atingindo uma pequena parcela da população. Por isso, ele acredita que a retirada do leite da dieta só pode ser recomendada se antes forem realizados exames que comprovem a intolerância. ''Na prática vemos poucas pessoas que apresentam reações alérgicas por terem ingerido leite'', ressalta.


Uma dica sugerida pelo nutricionista é evitar associar o leite às refeições como almoço e jantar, já que o cálcio presente em grande quantidade no leite vai atrapalhar a absorção do ferro. ''Se for tomar leite, é indicado esperar cerca de duas horas após o almoço'', ensina. Já a quantidade ideal de leite por dia vai depender das características de cada indivíduo, tais como peso, massa muscular e gordura corporal.


400 ml diários

Na intensa rotina de exercícios físicos do personal trainer Rafael Zuba Bueno, 26, a ingestão do leite não pode faltar. Além dos três treinos de boxe por semana, Bueno pratica musculação quase todos os dias. A prescrição de seu nutricionista pelo consumo de leite diariamente o anima, porém a dosagem máxima é de 400 ml diários. ''Hoje a quantidade de leite é controlada. Antes eu chegava a tomar até dois litros de leite por dia se sentisse vontade'', revela.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade